Tecnologia: Começa hoje (9/10) a maratona CNJ Inova

Dois desafios. 522 participantes. 13 dias de desenvolvimento. Prêmios totais de R$ 200 mil. Esses são alguns números do CNJ Inova, a maratona de ciência de dados e inteligência artificial que será iniciada nesta sexta-feira (9/10), às 18h, com transmissão ao vivo pelo canal do CNJ no YouTube.

Realizado pelo Conselho Nacional de Justiça e pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), com a organização do Lab Griô e da Plataforma Shawee, o evento busca projetos que enfrentem a necessária melhoria da produtividade judicial, buscando acelerar a tramitação de processos, e o alinhamento e saneamento de dados para a qualificação da Base Nacional de Dados do Poder Judiciário (DataJud).

Na primeira fase, as equipes vão focar na na base tecnológica das soluções, com apoio de mentores de diversas áreas de atuação, para guiar as atividades. Ainda há uma agenda de palestras complementares, para dar suporte conceitual e sobre as soluções tecnológicas existentes em todo o país.

Nessa fase, seis equipes serão classificadas para o Demoday e já ganham um prêmio de R$ 20 mil. No Demoday, a segunda fase, que será realizada em 19 de novembro, haverá nova mentoria para melhoria de design dos projetos e preparação para fase de pitching, que é o momento de apresentação e defesa das iniciativas. Duas equipes serão escolhidas vencedoras – uma para cada desafio – e receberão novo prêmio de R$ 40 mil cada.

Agência CNJ de Notícias

Assista a abertura do CNJ Inova no canal do YouTube

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/tecnologia-comeca-hoje-9-10-a-maratona-cnj-inova/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=tecnologia-comeca-hoje-9-10-a-maratona-cnj-inova.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

CNJ autoriza continuidade de concurso para juiz do TJAL

Por unanimidade, o Plenário do Conselho Nacional de Justiça decidiu que não houve irregularidade na …