Tribunal apresenta projeto do Centro Integrado de Proteção à Mulher Alagoana

O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) apresentou, na quinta-feira (8/10), o projeto que cria o Centro Integrado de Proteção à Mulher Alagoana. O local funcionará na Praça Sinimbu, no Centro de Maceió (AL), e reunirá diversos órgãos da rede de proteção contra a violência doméstica.

No Centro Integrado, as vítimas de agressão encontrarão delegacia especializada, Juizado, Defensoria Pública, Ministério Público e Patrulha Maria da Penha. O local terá ainda alojamento, salas de atendimento psicossocial, brinquedoteca e centro de mediação e conciliação. A iniciativa é uma parceria entre os poderes Judiciário, Executivo e Legislativo.

“Estamos trabalhando para inaugurar até o final de dezembro. O pessoal da arquitetura captou bem a ideia de fazer pequenas intervenções para deixar o espaço funcional, bem equipado, e a gente poder inaugurar o mais breve possível”, destacou o presidente do TJAL, desembargador Tutmés Airan.

A arquiteta Juliana Pimentel, do Departamento Central de Engenharia e Arquitetura do TJAL, explicou que o projeto buscou otimizar o que já havia no prédio onde antes funcionava apenas o Juizado da Mulher. “As intervenções são mínimas, de modo a possibilitar que a obra seja ágil e o empreendimento fique funcional e atenda aquilo a que se propõe.”

A deputada estadual Fátima Canuto assistiu à apresentação do projeto. “O espaço ficou bem adaptado e atende perfeitamente ao que foi pensado.”

Para o juiz José Miranda, auxiliar do Juizado, concentrar os órgãos de proteção em um só lugar é importante para evitar a revitimização da mulher. “Ela não vai ter que ficar se deslocando a vários locais para poder buscar os seus direitos. Vai ter um local em que ela poderá resolver boa parte dos problemas que estiver sofrendo.”

O magistrado destacou ainda que o Centro Integrado se baseou no modelo da Casa da Mulher Brasileira, iniciativa do Governo Federal existente em alguns estados, como São Paulo e Mato Grosso do Sul. “Nesse modelo todo estadual, o de Alagoas vai ser o primeiro.”

Também participaram da reunião de apresentação do projeto a deputada estadual Ângela Garrote e os juízes Eliana Machado e Kleber Borba, além da arquiteta Cláudia Lisboa, do TJAL.

Fonte: TJAL

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/tribunal-apresenta-projeto-do-centro-integrado-de-protecao-a-mulher-alagoana/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=tribunal-apresenta-projeto-do-centro-integrado-de-protecao-a-mulher-alagoana.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

CNJ dá início às aulas virtuais do curso Marco Legal da Primeira Infância

Com o objetivo de alcançar melhores resultados na realização de atividades voltadas à primeira infância, …