Sinapses: plataforma de inteligência artificial conquista prêmio na Expojud

A Plataforma Sinapses, desenvolvida por meio de uma parceria entre o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO), foi a vencedora do Prêmio de Inovação na categoria Prestação de Serviços da terceira edição do Expojud – Congresso de Inovação, Tecnologia e Direito para o ecossistema de Justiça. O Sinapses, inovação disponível para todos os tribunais que utilizam o Processo Judicial Eletrônico (PJe), é uma plataforma dotada de inteligência artificial (IA) que otimiza a realização de tarefas repetitivas e, ao mesmo tempo, garante maior segurança e respaldo para se minutar um processo.

A premiação reconhece e incentiva iniciativas inovadoras que utilizam tecnologias em processos de gestão e novas metodologias no Sistema de Justiça. O presidente da Comissão Permanente de Tecnologia da Informação e Inovação do CNJ, conselheiro Rubens Canuto, destaca que o prêmio distingue o trabalho e a dedicação das equipes do CNJ e do TJRO em tornar mais ágil o Poder Judiciário brasileiro. “É também um incentivo para continuarmos investindo em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC)”, avalia.

A Sinapses é uma plataforma para desenvolvimento e disponibilidade em larga escala de modelos de IA. Por meio dela, o processo de entrega dos modelos é acelerado em uma escala infinitamente superior ao sistema tradicional. O objetivo é prover uma série de modelos para utilização no PJe, possibilitando utilização pelas diversas versões e que cada tribunal possa construir seus próprios modelos, compartilhá-los e consumir modelos de outros tribunais. A plataforma foi customizada para operar em nuvem.

Justiça 4.0

A Expojud Judiciário Exponencial começou nesta terça e prossegue em debates e painéis temáticos realizados de forma virtual até a próxima sexta-feira (16/10). A programação inclui debates sobre inovação, tecnologia e empreendedorismo, dentro do sistema judicial.

Entre os painéis desta quarta-feira (14/10) está o de apresentação da Plataforma Digital do Poder Judiciário Brasileiro – PDPJ-Br, aprovada em 22 de setembro sob relatoria do presidente do CNJ, ministro Luiz Fux. A ferramenta tem o objetivo de modernizar o PJe – que permanece como o principal produto do CNJ para promover a expansão do processo eletrônico no país – e criar um ambiente colaborativo para o desenvolvimento de novas funcionalidades que atendam a todos as cortes brasileiras. A iniciativa está alinhada a um dos eixos da gestão de Fux a frente do CNJ, que é dar maior acesso à justiça digital no Brasil.

Representantes do CNJ também participam de painéis sobre decisões por robô e os riscos do enviesamento do modelo algorítimico e Justiça orientada para dados.

Para acompanhar o evento, clique aqui.

Alex Barbosa e Jeferson Melo
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/sinapses-plataforma-de-inteligencia-artificial-conquista-premio-na-expojud/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=sinapses-plataforma-de-inteligencia-artificial-conquista-premio-na-expojud.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

CNJ dá início às aulas virtuais do curso Marco Legal da Primeira Infância

Com o objetivo de alcançar melhores resultados na realização de atividades voltadas à primeira infância, …