Inscrições abertas para a Semana Nacional da Conciliação 2020 no Paraná

A XV Semana Nacional da Conciliação está com inscrições abertas até o dia 10 de novembro em todo o estado do Paraná. Com o conceito “Conciliação: menos conflito, mais resultado”, o objetivo da campanha é mostrar como o método de solução de conflitos pode gerar acordos que priorizam as condições das partes, reduzindo desgastes financeiros e emocionais.

A campanha é promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) desde 2006. A edição de 2020 no Paraná será histórica, pois, em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), ocorrerá de forma totalmente virtual entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro.

Todos os cidadãos que já tenham processos em trâmite podem participar desta edição, que também é aberta para a resolução de conflitos ainda não judicializados (pré-processuais). Para isso, é necessário que as partes ou advogados realizem a inscrição de forma on-line até o dia 10 de novembro.

Tipos de conflito

Casos como pensão alimentícia, divórcio, inventário, partilha, guarda de menores, acidentes de trânsito, dívidas em bancos ou financeiras e problemas de condomínio são alguns exemplos de situações que podem ser resolvidas por meio da conciliação.

Todos aqueles que tiverem interesse em conciliar devem informar o Poder Judiciário. Durante o trâmite processual, em qualquer momento ou fase da demanda é possível agendar uma audiência de conciliação – essa forma de resolução de conflitos está disponível todos os dias no Tribunal, mesmo após o encerramento da campanha.

Por meio da conciliação, é possível solucionar conflitos de forma rápida, fácil e segura, já que o resultado da audiência é homologado por um juiz e tem a mesma validade de uma sentença.

Fonte: TJPR

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/inscricoes-abertas-para-a-semana-nacional-da-conciliacao-2020-no-parana/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=inscricoes-abertas-para-a-semana-nacional-da-conciliacao-2020-no-parana.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Para ministro, juízes têm o dever de conter violência institucional contra mulheres

Enfrentar todas as formas de violência contra as mulheres, buscar a igualdade, defender os direitos …