Juízes e juízas debatem ações de combate à violência contra a mulher

Com um time de especialistas em direitos humanos e violência de gênero, será realizado a partir de segunda-feira (19/10) o Fórum Nacional de Juízes de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Fonavid). A 12ª edição do evento, realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), será on-line e aberta a toda a sociedade. A abertura contará com Flávia Piovesan, integrante da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA, e o presidente do CNJ, ministro Luiz Fux.

Conheça a programação, faça sua inscrição e participe do XII Fonavid

Até o dia 23 de outubro, os participantes do encontro vão debater os desafios no enfrentamento de duas pandemias do século XXI: a violência contra a mulher e a Covid-19. Entre os temas, as dificuldades do Judiciário no enfrentamento a violência de gênero, as discriminações de gênero, raça e etnia e seus reflexos durante a pandemia e o impacto no mercado de trabalho. As palestras são abertas ao público e as oficinas restritas a magistrados e magistradas e às equipes multidisciplinares dos tribunais.

Na abertura, será apresentado o Projeto InspiraCine, idealizado pelo Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJMS), com o apoio do CNJ e da ONU Mulheres. A primeira produção do projeto é a série cinematográfica Annelies, criada para ser utilizada no trabalho preventivo de combate à violência contra a mulher em grupos de crianças, jovens e adultos. A série é inspirada de maneira livre no livro O Diário de Anne Frank, que registra a vida de uma menina alemã, de família judia, escondida em um sótão durante a segunda Guerra Mundial.

Para a juíza Jacqueline Machado, presidente do Fonavid, essa edição terá impacto substancial, principalmente pelo número de pessoas vão participar. “A média de juízes e juízas nas edições anteriores era de 200. Já temos mais de 1,6 mil pessoas inscritas. Essa será uma edição histórica.”

Agenda

No dia 22 de outubro, às 18h, o bate-papo será sobre a Semana Justiça pela Paz em Casa, realizada três vezes por ano pelo CNJ. Entretanto, por conta das medidas de distanciamento social para combater a pandemia do novo coronavírus, as 17ª e 18ª edições não puderam ser realizadas neste ano. A conversa será com as conselheiras do CNJ Maria Cristiana Ziouva, Ivana Farina e Marcos Vinicius Rodrigues.

O encontro ainda conta com a ativista Regina Célia Barbosa, cofundadora e vice-presidente do Instituto Maria da Penha, e a advogada mexicana Maria Edith López Hernández, especialista em litígio internacional em matéria de direitos humanos, também estão entre os convidados. José Raimundo Carvalho, coordenador da pesquisa Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (PCSVDF-Mulher), maior estudo latino americano sobre o assunto, e Luiza Trajano, do Magazine Luíza, estarão no terceiro dia de programação, abordando o impacto da violência na economia.

O Fonavid também terá a participação da presidente do Colégio de Coordenadores da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário Brasileiro (Cocevid), desembargadora Salete Silva Sommariva, e da presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Renata Gil.

Uniformização

O Fórum Nacional de Juízes de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Fonavid) foi criado em 2009 para ser um espaço de troca de experiências, orientações e diretrizes voltadas à aplicação da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) no âmbito do Sistema de Justiça. Um dos principais papeis do fórum está na uniformização de procedimentos e ações das Varas Especializadas em Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher.

Entre as mais de 50 orientações editadas pelo Fonavid, o Enunciado 1 esclarece que, para incidência da Lei Maria da Penha, não importa o período de relacionamento entre vítima e agressor, nem o tempo decorrido desde o seu rompimento, bastando que reste comprovado que a violência decorreu da relação de afeto.

Conheça todos os enunciados do Fonavid

Regina Bandeira
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/juizes-e-juizas-debatem-acoes-de-combate-a-violencia-contra-a-mulher/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=juizes-e-juizas-debatem-acoes-de-combate-a-violencia-contra-a-mulher.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Partidos ajuízam ações sobre competência para impor vacinação contra o novo coronavírus

Mais dois partidos políticos ajuizaram ações no Supremo Tribunal Federal (STF), com pedido de liminar, …