2ª Região: Resolução permite a retomada parcial, de forma facultativa, do trabalho presencial de servidores – AASP

O presidente do TRF2, desembargador federal Reis Friede, o vice-presidente, desembargador federal Messod Azulay Neto, e o corregedor-regional da Justiça Federal, desembargador federal Luiz Paulo da Silva Araújo Filho assinaram, no dia 14 de outubro, a Resolução TRF2-RSP-2020/00045. A normativa autoriza o retorno facultativo de servidores à execução de atividade laboral presencial nas dependências do Tribunal e Seções Judiciárias do Rio de Janeiro e Espírito Santo, de acordo com a conveniência de cada órgão e a situação da pandemia na respectiva localidade.

A permissão é dirigida aos servidores que vêm executando a atividade laboral de forma remota, desde a instituição desse regime de trabalho. O retorno ocorrerá na forma decidida em comum acordo entre o servidor e chefia imediata, respeitado um limite máximo de 30% (trinta por cento) da lotação da unidade, por dia, podendo ser adotado o sistema de rodízio, se necessário.

De acordo com a resolução, fica vedada a realização de atividade presencial nas dependências dos prédios situados nas Ruas Dom Gerardo, nº 46 e Visconde de Inhaúma, nº 68.

Ressalta-se que desde agosto, por meio da Resolução TRF2-RSP-2020/00037, foi determinada a retomada de serviços presenciais considerados essenciais à jurisdição e à administração, e que ficam prejudicados quando realizadas a distância. Dentre esses serviços, estão a digitalização de processos físicos, as perícias médicas, o primeiro atendimento dos Juizados Especiais Federais e as audiências que não tenham como ser realizadas remotamente.

A retomada parcial do trabalho presencial não afeta, contudo, a continuidade das atividades que vêm sendo desempenhadas remotamente pelo TRF2 desde março.

É importante destacar também que as Resoluções nº 37 e nº 45 vedam a convocação de servidores e colaboradores incluídos no grupo de risco para a Covid-19, para o exercício presencial.

Os estudos para a volta ao trabalho presencial do TRF2 e das Seções Judiciárias vinculadas vêm sendo conduzidos por um comitê constituído em junho e do qual fazem parte, como consultores, um professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) e dois pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Leia mais sobre o Comitê de Retorno ao Trabalho Presencial.

Fonte: TRF-2ª

Fonte Oficial: AASP.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Proposta regulamenta contratação de pessoas com deficiência – AASP

Com objetivo de promover a inclusão mais efetiva de todas as pessoas com deficiência no …