JF da 2ª Região realiza novo mutirão de conciliação para auxílio emergencial

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) iniciou mais um mutirão de conciliação entre a União e trabalhadores do Espírito Santo e do Rio de Janeiro que tiveram negado administrativamente o pedido de auxílio emergencial. A nova iniciativa começou na quarta-feira (14/10) e se estenderá até o dia 13 de novembro.

No período, o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos da 2ª Região (NPSC2) promoverá acordos em reclamações pré-processuais apresentadas ao órgão, ou seja, com pedidos de cidadãos que preencheram o formulário “Quero Conciliar Auxílio Emergencial”, disponível no site do TRF2, no endereço https://www10.trf2.jus.br/conciliacao/auxilio-emergencial/.

A mais recente edição do mutirão foi autorizada pela Portaria nº TRF2-PNC-2020/00008, assinada pelo coordenador do NPSC2, desembargador federal Ferreira Neves no próprio dia 14. Nos termos do documento, o órgão encaminhará as reclamações à União, que terá então prazo de dez dias para responder e de 20 dias para implementação do benefício. Na hipótese de não ser firmado acordo, o pedido será convertido automaticamente em petição inicial, para decisão judicial.

Não serão submetidas ao mutirão do NPSC2, porém, as reclamações pré-processuais em que  a razão da negativa administrativa tiver um dos seguintes fundamentos:

1 – Familiar pertencente ao cadastro único já possui auxílio emergencial;
2 – Requerente está no cadastro único, porém não atendeu todas as condições para receber o auxílio emergencial;
3 – Cidadão pertence a família em que dois membros já recebem o auxílio emergencial;
4 – Requerente ou membro da família com auxílio emergencial pelo cadastro único e não pertencente ao bolsa família;
5 – Cidadão ou membros da família já receberam o auxílio emergencial;
6 – Cidadão ou membro familiar recebe bolsa família ou está em família já contemplada com auxílio emergencial.

O acervo de reclamações pré-processuais referentes ao auxílio emergencial no TRF2 soma hoje mais de 3,5 mil. No dia 23 de julho, o NPSC2 iniciou seu primeiro mutirão de conciliação sobre o tema, previsto para durar, inicialmente, por duas semanas. A grande procura pelo serviço, no entanto, motivou a prorrogação do trabalho até o dia 18 de setembro.

Nesse período, cerca de dois mil pedidos pré-processuais foram recebidos apenas no NPSC2 e quase 60% deles terminaram em acordos com a União. Na ocasião, em pesquisa realizada com os usuários, o NPSC2 registrou um índice de 89,3% de aprovação à iniciativa e quase o total dos entrevistados (99, 5%) afirmaram que recomendariam o serviço a outras pessoas.

Concedido pela Lei nº 13.982/2020, o auxílio emergencial é uma ajuda financeira temporária destinada a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e a microempreendedores individuais, grupo financeiramente mais afetado por conta da pandemia da Covid-19.

Fonte: TRF2

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/justica-federal-da-2a-regiao-realiza-novo-mutirao-de-conciliacao-para-auxilio-emergencial/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=justica-federal-da-2a-regiao-realiza-novo-mutirao-de-conciliacao-para-auxilio-emergencial.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Partidos ajuízam ações sobre competência para impor vacinação contra o novo coronavírus

Mais dois partidos políticos ajuizaram ações no Supremo Tribunal Federal (STF), com pedido de liminar, …