Ministro Humberto Martins participa de primeiro encontro com cidadãos nesta quarta-feira (28) – STJ

​Está marcada para esta quarta-feira (28), a partir das 8h30, a primeira série de audiências do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, com cidadãos interessados em apresentar sugestões, críticas e denúncias. O encontro com esse primeiro grupo de 18 cidadãos inaugura o projeto Fale com o Presidente – de mãos dadas: magistratura e cidadania.

A iniciativa tem o objetivo de aproximar o STJ e a sociedade, possibilitando que o cidadão converse diretamente com o presidente da corte em horários agendados. Cada pessoa terá dez minutos para tratar de qualquer assunto.

Segundo o ministro, as audiências demonstram que o STJ está de portas abertas para receber não só os operadores do direito e aqueles que possuem algum vínculo profissional com a corte, mas qualquer pessoa que deseje expor um problema ou discutir assuntos que considere relevantes.

“Como Tribunal da Cidadania, o STJ deve sempre privilegiar o diálogo, a transparência e a abertura de oportunidades para ouvir a sociedade. Por isso, precisamos eliminar barreiras entre o homem público – que é um simples inquilino do poder – e o cidadão comum, dando voz e trazendo as pessoas ao lugar que é delas por direito”, afirmou o ministro Humberto Martins. 

Conversa infor​​​mal

De acordo com o presidente do STJ, quem se inscrever terá liberdade para expor seus pensamentos, e, mesmo que o assunto não seja da competência primária do STJ, as demandas serão registradas, encaminhadas e solucionadas dentro das possibilidades do tribunal.

“Temos estruturas, como a Ouvidoria, para atender diversas demandas do público em geral, mas a experiência de ouvir diretamente do jurisdicionado o que ele tem a dizer é insubstituível, é o exercício pleno da cidadania”, comentou o ministro, que já implantou um projeto dessa natureza, o Disque Cidadania, durante sua gestão como corregedor-nacional de Justiça, no biênio 2018-2020.

O Disque Cidadania, inaugurado pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em dezembro de 2018, disponibilizou um canal telefônico para que cidadão apresentar denúncias, reclamações e sugestões, ficando assim mais próximo do Poder Judiciário.

“A experiência com esse tipo de iniciativa mostra que as pessoas se sentem mais à vontade para reclamar, sugerir e opinar por esses canais do que quando precisam preencher formulários e enfrentar burocracia para registrar as suas demandas”, explicou o ministro Humberto Martins.

Como f​​​unciona

Ao todo, 18 pessoas serão agendadas em cada sessão de audiências. Os pedidos podem ser feitos na Ouvidoria do STJ, pelo e-mail falecomopresidente@stj.jus.br. A solicitação deve ocorrer com até 72 horas de antecedência. Haverá confirmação até 48 horas antes da audiência, por e-mail ou pelo telefone indicado pelo cidadão.

Magistrados, membros do Ministério Público, da advocacia e da Defensoria Pública, bem como lideranças partidárias e pessoas públicas em geral, não estão incluídas na iniciativa, pois o recebimento dessas pessoas já faz parte da agenda institucional e de rotina do presidente do STJ.

A iniciativa é uma das muitas planejadas pelo ministro para colocar em prática o conceito de gestão participativa no tribunal. As audiências públicas observarão todas as medidas de segurança definidas pela Secretaria de Serviços Integrados de Saúde do STJ para a prevenção da Covid-19.

Além das audiências desta quarta-feira, estão marcados encontros para 30 de novembro e 14 de dezembro, sempre das 8h30 às 11h30.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/xjE4jkF0ELw/27102020-Ministro-Humberto-Martins-participa-de-primeiro-encontro-com-cidadaos-nesta-quarta-feira–28-.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Mais de 494 mil decisões foram proferidas no regime de trabalho remoto – STJ

​​O Superior Tribunal de Justiça (STJ) já proferiu mais de 494 mil decisões desde a …