AL: Justiça do Trabalho e MPT revertem R$ 1,25 milhão para qualificação profissional

O juiz Cláudio Márcio Lima dos Santos, da 7ª Vara do Trabalho de Maceió (AL), atendeu a um pedido feito pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas e determinou a liberação de R$ 1,25 milhão para investimento em qualificação profissional de trabalhadores demitidos em Maceió. Entre os beneficiários dos cursos a serem ofertados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), estão profissionais dos bairros do Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto que tiveram o contrato de trabalho rescindido em decorrência da situação de calamidade pública decretada pela prefeitura, além de trabalhadores que perderam o emprego em virtude da pandemia da Covid-19.

O valor faz parte do montante de R$ 40 milhões depositado em juízo pela mineradora Braskem S.A, após acordo judicial firmado com o MPT nos autos da ação civil pública nº 0000648-42.2019.5.19.0007, que buscou reparar os prejuízos socioeconômicos causados a moradores e trabalhadores dos bairros afetados por rachaduras, afundamentos e tremores, causados pela extração de sal-gema.

Em seu despacho, o juiz Cláudio Márcio afirma que os cursos atendem a finalidade social pretendida na ação e servirão de efetivo suporte para reinserção no mercado de trabalho. “O portfólio levou em consideração a retomada das atividades econômicas em Alagoas e prevê a qualificação e requalificação profissional em diversas atividades essenciais. O órgão ministerial ressalta, inclusive, a perspectiva de ingresso destes profissionais no ramo hoteleiro, em decorrência da instalação de novos hotéis no estado, notadamente na Barra de Santo Antônio, Ipioca e Maragogi”, afirma o magistrado na decisão.

Segundo a procuradora Rosemeire Lobo, o objetivo da ação foi trazer para a comunidade atingida a máxima reparação possível do que ela sofreu por conta de uma atividade empresarial. “Houve uma tragédia social, com fechamento de negócios e perda de empregos. Quando a gente traz esse dinheiro do acordo com a Braskem para capacitar os trabalhadores, a fim de que eles retomem suas atividades e voltem ao mercado de trabalho, damos sentido à atuação do Ministério Público do Trabalho no caso.”

Ao todo, o MPT pretende reverter até R$ 2,5 milhões na execução de cursos e programas de formação profissional na área de comércio a trabalhadores de Maceió. A formação envolverá 1.119 vagas, distribuídas em 48 turmas, de 26 cursos. Ela beneficiará, prioritariamente, trabalhadores dos bairros do Bebedouro, Bom Parto, Mutange e Pinheiro, que tiveram o contrato de trabalho rescindido em decorrência da situação de calamidade pública, conforme decretos de 2019 da prefeitura. Caso haja vagas remanescentes, o MPT e o Senac priorizarão os trabalhadores demitidos em 2020 devido às medidas econômicas relacionadas à pandemia da Covid-19.

O convênio firmado entre o MPT e o Senac é o segundo com objetivo de qualificar profissionalmente trabalhadores demitidos em Maceió. Em agosto, o MPT firmou uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) envolvendo 2.121 vagas em 31 cursos do ramo.

Entre os cursos que serão oferecidos, estão os de Agente de Limpeza e Conservação, Assistente Administrativo, Assistente de Recursos Humanos, Atendente de Farmácia, Auxiliar de Cozinha, Barbeiro, Bolos Artísticos, Cabeleireiro, Confeiteiro, Copeiro Hospitalar, Costureiro, Cozinheiro, Cuidador de Idosos, Depilador, Estoquista, Frentista, Informática Básica, Manicure e Pedicure, Montador e Reparador de Computadores, Salgadeiro, Técnico em Administração, Técnico em Enfermagem, Técnico em Análises Clínicas, Técnico em Guia de Turismo, Técnico em Informática e Técnico em Segurança do Trabalho.

Os cursos poderão ser realizados em três modalidades: remota, semipresencial e presencial. Eles observarão a natureza da própria capacitação e as definições previamente estabelecidas, bem como as normas de controle da pandemia de Covid-19 editadas pelo Ministério da Saúde.

Processo: ACPCiv 0000648-42.2019.5.19.0007

Fonte: TRT19

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/al-justica-do-trabalho-e-mpt-revertem-r-125-milhao-para-qualificacao-profissional/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=al-justica-do-trabalho-e-mpt-revertem-r-125-milhao-para-qualificacao-profissional.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça do Trabalho da 15ª Região promove esforços concentrados pela conciliação

Aderindo ao Mês Nacional de Conciliação, promovido pela Justiça do Trabalho, e à Semana Nacional …