Justiça Eleitoral e Exército debatem protocolo sanitário para aldeias indígenas de MT

As tropas da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada estão preparadas para auxiliar o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) na aplicação de protocolos sanitários nas aldeias indígenas no dia da eleição. É o que garantiu o comandante da unidade, general Reinaldo Salgado Beato, na quarta-feira (28/10), durante reunião com o presidente do TRE-MT, desembargador Gilberto Giraldelli, o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada e juiz auxiliar da presidência do TRE- MT, Lídio Modesto e o diretor-geral do Tribunal, Mauro Sergio Diogo.

Salgado informou que, além de atuar na área de segurança nas seções eleitoras indígenas, as tropas poderão trabalhar na desinfecção dos locais de votação, envolvendo espaço e equipamentos. Elas foram devidamente treinadas por meio de curso específico promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso e Serviços de Saúde.

“É uma honra poder colaborar com a Justiça Eleitoral. Faz parte da nossa missão servir a sociedade. Então, nos integramos com outros órgãos na execução de atividades de interesse da população. Ampliar nossa atuação no dia da eleição, para além das ações específicas de segurança, tem essa finalidade: atender os anseios de parte da sociedade, especificamente, as comunidades indígenas, cujas características de saúde de seus integrantes exigem a adoção de um rígido protocolo sanitário no dia da eleição”, ressaltou.

Giraldelli agradeceu a parceria do Exército e ressaltou sua importância.  “Nós agradecemos essa parceria extremamente necessária. Fazer uma eleição é um projeto tão grandioso, que não conseguiríamos fazer sozinhos. No dia da eleição, em que entregamos a sociedade um trabalho que levou meses para ser desenvolvido, precisamos do apoio, da estrutura, da credibilidade e do respeito que o Exército impõe.”

Ao final, o general convidou as autoridades do TRE-MT para assistirem uma demonstração, por meio de um ambiente que simulava uma seção eleitoral, de como o Exército poderá atuar na desinfecção do local de votação no dia da eleição. Essa atuação só ocorrerá se necessária e devidamente autorizada pelo presidente da seção eleitoral.

Giraldelli falou da necessidade da adoção de um protocolo sanitário específico nas seções eleitorais indígenas e explicou as ações que estão em andamento. “O Tribunal Superior Eleitoral, juntamente com a Fundação Nacional do Índio, a Secretaria Especial de Saúde Indígena e as Casas de Apoio aos Índios, está elaborando um protocolo sanitário específico a ser aplicado nos locais de votação instalados nas aldeias indígenas.”

O TRE-MT solicitou apoio do Exército para atuação em 32 comunidades indígenas distribuídas em 15 zonas eleitorais (ZE). São elas:  9ª ZE – Barra do Garças, 16ª ZE – Vila Rica, 18ª ZE – Mirassol, 26ª ZE -Nova Xavantina, 27ª ZE – Juara, 28ª ZE – Porto Alegre do Norte, 30ª ZE – Água Boa, 32ª ZE – Cláudia, 33ª ZE – Peixoto, 35ª ZE – Juína, 44ª ZE – Guarantã do Norte, 53ª ZE – Querência, 56ª ZE – Brasnorte, 57ª ZE – Paranatinga e 61ª ZE – Comodoro.

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/justica-eleitoral-e-exercito-debatem-protocolo-sanitario-para-aldeias-indigenas-de-mt/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=justica-eleitoral-e-exercito-debatem-protocolo-sanitario-para-aldeias-indigenas-de-mt.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Justiça do Trabalho da 15ª Região promove esforços concentrados pela conciliação

Aderindo ao Mês Nacional de Conciliação, promovido pela Justiça do Trabalho, e à Semana Nacional …