Ministros do STJ integram grupo de trabalho voltado para o fortalecimento dos precedentes judiciais – STJ

​O Conselho Nacional de Justiça (STJ) instituiu, por meio da Portaria 240, de 4 de novembro, um grupo de trabalho encarregado de elaborar estudos e propostas para o fortalecimento dos precedentes no sistema judicial. A coordenação é do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Joel Ilan Paciornik.

Ao todo, a equipe conta com 25 integrantes. Do STJ, além do coordenador, fazem parte os ministros Benedito Gonçalves, Villas Bôas Cueva, Moura Ribeiro, Rogerio Schietti Cruz, Antonio Saldanha Palheiro e Luis Felipe Salomão (na qualidade de corregedor-geral da Justiça Eleitoral).

A previsão é que as atividades sejam concluídas em um ano, com a apresentação de relatório final e das propostas, mas o prazo poderá ser prorrogado, mediante justificativa da coordenação. Os encontros ocorrerão, preferencialmente, por meio virtual.

Também integram a equipe juízes, desembargadores, conselheiros do CNJ, ministros dos tribunais superiores e do Tribunal de Contas da União (TCU), membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outros especialistas.

Atribuiçõ​​es

Entre as atribuições do grupo de trabalho estão a promoção de debates sobre o tema e sobre a legislação de regência, além da realização de diagnósticos e da indicação de medidas voltadas para a superação das dificuldades relativas à publicidade e à efetividade dos precedentes.

A portaria prevê, ainda, que cabe ao grupo propor iniciativas para a integração dos julgadores em relação à uniformização e à estabilidade da jurisprudência. Outra importante competência da comissão é sugerir arranjos normativos, institucionais e organizacionais com o objetivo de aprimorar os mecanismos de fortalecimento dos precedentes e aumentar a adesão dos julgadores.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/Cn5tfZ-RcaI/13112020-Ministros-do-STJ-integram-grupo-de-trabalho-voltado-para-o-fortalecimento-dos-precedentes-judiciais.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Informativo de Jurisprudência destaca garantia fiduciária e competência da vara da infância e da juventude – STJ

A Secretaria de Jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) disponibilizou a edição 685 do …