Adiada votação do projeto que obriga licitação para permissão de transporte rodoviário — Senado Notícias

Foi adiada, mais uma vez, a votação do projeto que restabelece a obrigatoriedade de licitações para o transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros. O PL 3.819/2020 estava previsto para ser votado há duas semanas, mas foi retirado de pauta por falta de acordo. A matéria voltou à pauta na sessão remota desta quarta-feira (18) e teve sua apreciação adiada novamente, a pedido do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). A previsão é que o projeto seja votado na próxima quarta-feira (25).

Bezerra Coelho pediu mais tempo para construir um acordo sobre o texto final do projeto — que prevê o fim das autorizações para o caso do transporte interestadual e internacional de passageiros. Ele disse que o governo quer fazer uma sugestão para que a autorização seja permitida, desde que atendidos determinados requisitos técnicos.

O líder anunciou que vai agendar uma reunião para a próxima terça-feira (24), com a presença do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes Freitas, e do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. O autor do projeto, senador Marcos Rogério (DEM-RO), e o relator, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), também vão participar do encontro.

— Esse encaminhamento me parece o melhor, para que a gente não divida o Plenário. As preocupações são legítimas, mas estamos procurando o consenso — pediu Bezerra Coelho.

O senador Antonio Anastasia (PSD-MG), que presidiu a sessão, disse que recebeu a manifestação de vários senadores em favor do adiamento. O senador Eduardo Braga (MDB-AM) também cobrou um acordo e disse entender que o entendimento está próximo. Na mesma linha, Jean Paul Prates (PT-RN) manifestou concordância com o adiamento da votação e classificou o possível acordo como “salutar”.

O relator, senador Acir Gurgacz, admitiu que é preciso “dar um rumo” ao projeto, ao lembrar que a votação da matéria já foi adiada várias vezes. Ele disse que é importante e possível construir um acordo em torno da proposta e cobrou mais investimentos do governo sobre todo o sistema de transporte público.

— Vamos discutir e achar um meio termo, sempre pensando no usuário. O que está acontecendo hoje não interessa ao usuário — afirmou o relator.

 Projeto

O objetivo do projeto de Marcos Rogério é restaurar as regras anteriores à legislação atual, que permite a outorga dessa modalidade de transporte para empresas privadas por meio de autorização, em vez de concessão. Ele admite que há um conflito na interpretação da Constituição em relação a esse assunto e diz que sua proposta traz mais transparência e favorece o contribuinte.

O projeto insere os transportes rodoviário interestadual e internacional entre as modalidades que devem receber permissão da ANTT. Os editais para outorga da permissão deverão levar em conta a viabilidade técnica, operacional e econômica de cada linha ofertada, a partir de critérios definidos pela agência.

Acir Gurgaz já apresentou seu relatório, em que acata de forma parcial uma sugestão da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES) e apresenta outras oito emendas de sua própria iniciativa. Uma delas obriga a ANTT a calcular o custo da operação de passageiro por quilômetro transportado e acrescenta que a agência deve divulgar os critérios mínimos de viabilidade.

Outra emenda permite que as transportadoras interessadas em obter a autorização da ANTT indiquem os mercados pretendidos e, ao mesmo tempo, veda o seccionamento intermunicipal. Conforme outra sugestão do relator, as autorizações concedidas após 30 de outubro de 2019 deverão ser suspensas e a ANTT terá dois anos para elaborar um plano de outorga, para ser implantado em até oito anos. As autorizações anteriores a essa data permanecerão válidas.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/11/18/adiada-votacao-do-projeto-que-obriga-licitacao-para-permissao-de-transporte-rodoviario.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Senado aprova em primeiro turno PEC Emergencial com auxílio limitado a R$ 44 bi — Senado Notícias

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (3), em primeiro turno, o texto-base da PEC …