Senadores lamentam morte de Maradona e definem jogador como ‘gênio’ — Senado Notícias

A morte do ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona causou grande comoção mundial. Entre os senadores, não foi diferente. “Gigante”, “campeão”, “lenda” e “gênio” foram algumas das definições que os senadores publicaram no Twitter para fazer referência ao jogador, que morreu aos 60 anos na manhã desta quarta-feira (25).

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse ver “com pesar a morte do craque Diego Maradona”. Davi lembrou que Maradona foi campeão mundial em 1986 com a seleção do seu país, e registrou que “sua despedida deixa toda a Argentina e o futebol mundial de luto”. “Vá em paz, campeão!”, complementou.

O senador Romário (Podemos-RJ) chamou Maradona de “amigo” e “lenda”. Segundo o senador, o argentino conquistou o mundo “com a bola nos pés, mas também por sua alegria e personalidade única”.

Para Romário, a passagem de Maradona “pelo mundo levou muita felicidade ao seu país e encantou a todos nós. Nunca vou esquecer das risadas que demos juntos. Certamente, ele nunca foi um adversário. Me chamava de Chapolin e me tratava como irmão”. O senador mandou abraços para os argentinos e para a família de Maradona e acrescentou que o craque era “um menino, que se foi cedo demais”. “Que tristeza! Vai com Deus, hermano!”, completou.

Na visão da senadora Leila Barros (PSB-DF), Maradona foi um dos grandes gênios do futebol. Ela disse que o craque “será lembrado pela intimidade com a bola”. De acordo com Leila, a morte do jogador “é mais um episódio triste deste ano que ficará marcado pela pandemia e pela partida precoce de tanta gente”. A senadora ainda registrou: “Obrigada por tudo, Diego. Desejo força para sua família e amigos”.

O senador Diego Tavares (PP-PB) disse que a morte de Maradona significa um “dia triste para o futebol mundial”. Na opinião do senador Lasier Martins (Podemos-RS), Maradona foi um gênio e uma “grife” do futebol mundial, pois era “um jogador técnico, com estilo vistoso, drible fácil e goleador”. Com a morte do jogador, disse Lasier, “fica um enorme silêncio”. O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) também lamentou a morte de Maradona: “Eu era fã dele! Morre o segundo maior jogador do mundo, Diego Maradona da Argentina”.

Carreira

Diego Armando Maradona Franco nasceu em 30 de outubro de 1960, na cidade argentina de Lanús. De família pobre, iniciou sua carreira futebolística no Argentinos Juniors. Depois de passar pelo Boca Juniors, foi jogar na Europa — onde atuou em clubes como Barcelona e Napoli. Seu grande momento foi na Copa do Mundo de 1986, no México, quando levou a seleção argentina ao bicampeonato mundial. Também foi técnico da equipe nacional, no mundial de 2010, na África do Sul.

Muitas vezes se viu envolvido em escândalos por uso de doping e abuso de drogas. É considerado um dos maiores gênios da história do futebol, com quase 500 gols marcados. Depois que parou de jogar, teve de enfrentar a obesidade. Sua saúde estava debilitada desde o início do mês, quando teve que passar por uma cirurgia para drenar um hematoma no cérebro. Ele morreu de parada cardiorrespiratória em sua casa, na cidade de Tigre, nas redondezas de Buenos Aires.  

Veja, abaixo, a manifestação de outros senadores no Twitter:

Fabiano Contarato (Rede-ES) – “Diego Maradona fez história e moveu paixões entre brasileiros e argentinos com seu futebol-arte, uma obra admirada no mundo todo. O grande jogador se despede, deixando um legado de vitórias em campo e grandes momentos na memória esportiva latino-americana. Obrigado, Maradona!”

Rogério Carvalho (PT-SE) – “Diego Maradona foi um gigante!  Um dos maiores jogadores de todos os tempos, que também sempre esteve ao lado certo da história. Lutou pela justiça social, pela integração da América Latina, e combateu desigualdades. Descanse em paz Dieguito!”

Weverton (PDT-MA) – “A morte de Maradona é uma triste notícia neste fim de ano para todos que, como eu, gostam de futebol. Rivalidades à parte, ele foi um grande jogador!”

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) – “Diego Maradona é um daqueles seres diferentes que passam pela terra. Dentro de campo foi espetacular, um dos maiores. Fora do campo, um ser humano sensível com a luta por um mundo mais justo. Um dos deuses do futebol subiu hoje pro seu lugar de direito!”

Plínio Valério (PSDB-AM) – “Minha solidariedade aos irmãos argentinos pela perda do seu ídolo, o gigante Diego Maradona, que a tantos encantou com seu balé pelos estádios do mundo inteiro.”

Jean Paul Prates (PT-RN) – “Nós que amamos o futebol sentimos hoje a perda de Dom Diego. Maradona foi estrela nos gramados e sempre se posicionou fora dos campos pelo seu povo. Queria uma Argentina mais justa. O mundo perdeu um ídolo, craque de bola e um homem que brigava por sua gente. Nossos irmãos argentinos não estão sozinhos em seu luto. O gênio de Maradona pertence à humanidade. Viveu uma vida intensa. Voa, Diego!”

Ciro Nogueira (PP-PI) – “Foi com surpresa e enorme tristeza que recebi a notícia do falecimento de Diego Maradona no dia de hoje. Mais do que um dos melhores jogadores de toda a história, Maradona foi um ícone, idolatrado pelo mundo todo por suas atuações dentro de campo e sua personalidade cativante. Meus sentimentos aos familiares e também a todo o povo argentino que, sem dúvida, sofre essa perda como a de um grande amigo. Descanse em paz, Maradona!”

Alvaro Dias (Podemos-PR) – “Maradona dá adeus! Sua morte deixa um passado de glórias nos campos de futebol do mundo. Fora deles, um exemplo a não ser seguido. Uma pena… Nossa solidariedade aos milhões de admiradores!”

Paulo Rocha (PT-PA) – “Adeus, gênio! É com pesar que hoje nos despedimos de um dos maiores jogadores da história do futebol mundial. Um ativista, um ícone, uma lenda. Sentiremos eternamente sua falta, Diego Armando Maradona. Descanse em paz, Dieguito. Nossa solidariedade a amigos e familiares, além de todo povo argentino e amantes do futebol, pela morte de um dos maiores gênios do futebol mundial.”

Jaques Wagner (PT-BA) – “Hoje nos despedimos de Diego Maradona, essa lenda do esporte que fez história no futebol e marcou gerações não só pela genialidade dentro do campo, mas também pela coragem dos seus posicionamentos fora dele ao sempre defender uma América Latina livre e soberana. Viva, Maradona!”

Humberto Costa (PT-PE) – “O mundo do futebol perde um dos seus gigantes! Adeus, Maradona! Mais do que um dos melhores jogadores da história mundial, Maradona era um cara que, diferentemente da maioria das estrelas brasileiras, tinha um compromisso muito forte com o social. Que Deus conforte a família.”

Renan Calheiros (MDB-AL) – “O mundo do futebol silencia e estende luto nos gramados. A morte prematura do pequeno-grande Diego Maradona entristece a todos que amam a arte do drible, do passe e do gol. Maradona, como Pelé, era sublime com a bola nos pés e será eterno na nossa lembrança.”

Styvenson Valentim (Podemos-RN) – “Descanse em paz Dom Diego. Seus gols ficarão para sempre na memória. Você foi um gênio do futebol.”

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/11/25/senadores-lamentam-morte-de-maradona-e-definem-jogador-como-genio.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Comissão da Covid-19 apresenta plano de trabalho nesta segunda-feira — Senado Notícias

A comissão temporária criada para acompanhar as questões de saúde pública relacionadas ao coronavírus (CTCOVID19), …