Projeto que libera prestador de serviço de metas com o SUS neste ano vai à Câmara — Senado Notícias

Em sessão remota nesta quarta-feira (2), o Plenário do Senado aprovou o projeto que suspende, até o fim do ano, a obrigatoriedade do cumprimento de metas para entidades que prestam serviços de saúde para o Sistema Único de Saúde (SUS). Esse projeto de lei (PL 4.384/2020) segue agora para a análise da Câmara dos Deputados.

O texto foi aprovado na forma de um substitutivo apresentado pela relatora da matéria, senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). O substitutivo, por sua vez, foi elaborado a partir da proposta das senadoras Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Leila Barros (PSB-DF).

De acordo com o substitutivo, os prestadores de serviços de saúde ficam desobrigados, até o final do ano, de cumprir as metas quantitativas e qualitativas estabelecidas em contrato no âmbito do SUS. Isso lhes permite receber os repasses dos valores financeiros previstos em contrato mesmo que não cumpram as metas deste ano devido à pandemia. O texto também inclui as organizações sociais de saúde (OSS) entre as entidades beneficiadas com essa medida.

Substitutivo

A relatora da matéria, Eliziane Gama, elogiou o projeto original de Leila Barros e Mara Gabrilli. Ela ressaltou que, no contexto da pandemia, tornou-se impossível para os prestadores de serviço cumprirem as metas contratualizadas — como, por exemplo, o número mínimo de cirurgias, biópsias, endoscopias e outros procedimentos. Segundo a relatora, essa situação poderia dar ensejo à imposição de sanções por parte da administração pública.

— O projeto é digno de aplauso e revela a sensibilidade de suas autoras para os problemas que afetam o dia a dia da população brasileira, especialmente das pessoas mais carentes e que dependem integralmente da assistência à saúde provida pelo SUS — declarou Eliziane.

Apesar de “exaltar a relevância da aprovação” do projeto, Eliziane fez modificações no texto original, o que resultou no substitutivo aprovado pelo Senado nesta quarta. O texto original acrescentava dispositivos à Lei 13.992, de 2020; Eliziane incluiu no projeto modificações na Lei 14.061, de 2020 — que faz referências à primeira lei.

A relatora também acatou, de forma total ou parcial, três de quatro emendas apresentadas em Plenário. A prorrogação da suspensão das metas até o final do ano, por exemplo, foi uma sugestão do senador Lasier Martins (Podemos-RS).

O senador Flávio Arns (Podemos-PR) também teve uma emenda acatada. Sua sugestão prevê que, no caso de pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos e que prestam atendimento a pessoas com deficiência, a suspensão do cumprimento de metas será mantida pelo período em que vigorarem as medidas de suspensão das atividades escolares presenciais nas localidades onde se situam. O argumento é que, quando há vinculação entre as atividades educacionais e as de saúde, essas instituições terão dificuldades em cumprir metas de atendimento enquanto as escolas permanecerem fechadas.

A relatora ainda aproveitou uma sugestão da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES) para estabelecer que, no caso de entidades que prestam atendimento a pessoa idosa, criança ou adolescente por meio de credenciamento junto ao SUS, a suspensão vai até o fim de 2020.

Prejuízo

A aprovação da matéria ocorreu de forma simbólica, mas o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), manifestou posição contrária ao projeto. Ele disse que o governo entende que as OSS já se encontram contempladas pela lei. Segundo o senador, a preocupação do governo é que as medidas previstas no projeto terminem por prejudicar o atendimento a outras demandas de saúde.

— O projeto pode resultar em um grande prejuízo para o SUS e para o atendimento da população — alertou Bezerra.

Arquivo

Por tratar de assunto semelhante, o PL 3.769/2020, do senador Flávio Arns, tramitou de forma conjunta com o PL 4.384/2020. Com a aprovação deste último, o projeto do senador Flávio Arns foi considerado prejudicado e será arquivado.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/12/02/projeto-que-libera-prestador-de-servico-de-metas-com-o-sus-neste-ano-vai-a-camara.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Alessandro Vieira critica ações do governo na saúde e pede convocação de Pazuello — Senado Notícias

Na manhã desta sexta-feira (15), o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentou requerimento de convocação do …