Ministro Bellizze coordena grupo criado para aperfeiçoar atuação da Justiça na execução civil – STJ

​O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Marco Aurélio Bellizze será o coordenador do grupo de trabalho criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para propor medidas que modernizem e tornem mais efetiva a atuação do Poder Judiciário nos processos de execução e cumprimento de sentença (excluídas as execuções fiscais).

Instituído pela Portaria 2​72/2020, o grupo realizará estudos e diagnósticos sobre os obstáculos à efetividade da execução civil, identificando a viabilidade de automatização de atos e etapas processuais e acompanhando propostas legislativas que estejam em andamento. O prazo para a conclusão dos trabalhos e a apresentação do relatório final é de um ano.

Comp​​osição

Para colher subsídios e embasar suas propostas, o grupo de trabalho poderá realizar audiências e consultas públicas, palestras ou seminários com representantes de órgãos públicos e de entidades da sociedade civil, operadores do direito e outros especialistas.

Além de Marco Aurélio Bellizze, integram o grupo os conselheiros do CNJ Rubens de Mendonça Canuto e Candice Lavocat Galvão Jobim; o secretário de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica do CNJ, Marcus Lívio Gomes; os juízes auxiliares da presidência do CNJ Trícia Navarro Xavier Cabral e Dorotheo Barbosa Neto; os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) Aluísio Gonçalves de Castro Mendes e Theophilo Antonio Miguel Filho; os advogados Teresa Arruda Alvim, José Roberto Bedaque, Paulo Lucon, Heitor Sica, Marcelo Abelha Rodrigues e Márcio Carvalho Faria; o defensor público José Augusto de Souza e a professora Flávia Pereira Hill.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/9Y8Vtr73QRI/07122020-Ministro-Bellizze-coordena-grupo-criado-para-aperfeicoar-atuacao-da-Justica-na-execucao-civil.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Ministros do STJ participam de debate sobre segredo de negócio e espionagem comercial – STJ

​ rn Para debater a necessidade de legislação própria contra o roubo de segredos comerciais …