Nota de repúdio aos ataques sofridos pela advogada Mayra Cotta – OAB

A Comissão Nacional da Mulher Advogada (CNMA) da OAB
Nacional repudia, de forma veemente, os ataques perpetrados contra a advogada
Mayra Cotta por Marcius Melhem, que poderá ser acusado por suas clientes de
prática de assédio sexual, dentre outros crimes.

Marcius Melhem afirmou que “Uma advogada devia ser a
primeira pessoa a acreditar na lei, e não buscar justiça pela imprensa. A
justificativa que ela usa de que as vítimas teriam medo de se expor, as vítimas
estão expostas, estão completamente expostas. Não tem ninguém mais exposto hoje
que a Dani Calabresa.”

Em mensagem enviada a Roberto Cabrini por escrito, e exibida
na reportagem veiculada na edição do dia 6/12/2020 do Domingo Espetacular
(RecordTV), Melhem declarou: “Em respeito a você e a seus telespectadores,
preciso esclarecer que mais uma vez a advogada Mayra Cotta vai à imprensa ao
invés de ir à Justiça para buscar a reparação às mulheres que ela representa.
Venho a público reafirmar que são acusações mentirosas. Nunca tranquei ninguém,
nunca chantageei ninguém, nunca forcei ninguém a nada. Por essa razão, estou
processando a advogada Mayra Cotta.”

A atuação profissional de toda a advocacia sofre uma grave
violação de suas prerrogativas quando a advogada de uma mulher que denuncia o
crime de assédio sexual sofre constrangimento em razão de atos praticados no
exercício de sua atividade profissional. Trata-se de mais uma forma de tentar
perpetuar a violência de gênero em nosso país. Como bem afirmou nosso
Presidente Felipe Santa Cruz, “é inadmissível que o acusado tente intimidar a
advogada da outra parte. A advogada tem a prerrogativa de representar e falar
pelas clientes.”

Não se pode admitir que a advogada, representando vítimas de
assédio sexual e no pleno exercício de sua profissão, venha a sofrer ameaças e
constrangimentos. O direito de defesa dos acusados não pode significar a
supressão ou ameaça ao direito de defesa das vítimas.

Diante dos fatos, a Comissão Nacional da Mulher Advogada
reafirma seu compromisso com a busca pela efetivação dos direitos das mulheres,
que para serem garantidos em sua plenitude exigem respeito, antes de tudo, ao
direito de defesa das vítimas, exercido por meio de advogadas e advogados, como
Mayra Cotta no caso concreto.  

 

Daniela Lima de Andrade Borges

Presidenta da Comissão Nacional da Mulher Advogada

Alice Bianchini

Vice-Presidenta da Comissão Nacional da Mulher Advogada

Claudia Maria da Fontoura Messias Sabino

Secretária-Geral da Comissão Nacional da Mulher Advogada

Marisa Chaves Gaudio

Secretária-Adjunta da Comissão Nacional da Mulher

Confira a nota de repúdio

Fonte Oficial: http://www.oab.org.br/noticia/58601/nota-de-repudio-aos-ataques-sofridos-pela-advogada-mayra-cotta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

OAB promoverá talk show sobre gestão de pequenos escritórios – OAB

A OAB Nacional, por meio da Comissão Especial de Gestão, Empreendedorismo e Inovação (CEGEI), realizará …