Edição especial do programa Jornada aborda o assédio sexual nas relações de trabalho

O programa ouviu relatos de mulheres que foram sistematicamente constrangidas por seus superiores hierárquicos

Imagem congelada do programa Jornada sobre assédio sexual

Imagem congelada do programa Jornada sobre assédio sexual

09/03/21 – O Jornada está de volta à programação da TV TST com uma edição especial por ocasião do Dia Internacional da Mulher. Assédio sexual nas relações de trabalho é o assunto desse episódio, gravado pouco antes do início da pandemia, em fevereiro de 2020. A reportagem ouviu diversos relatos de mulheres assediadas por seus chefes no local do trabalho ou mesmo fora dele. A reflexão sobre o tema é inevitável: no país, 42% das brasileiras com mais de 16 anos disseram ter sido vítimas desse tipo de ato.

A presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministra Maria Cristina Peduzzi, é uma das entrevistadas. Ela explica o que caracteriza o assédio sexual nos ambientes profissionais e como o crime pode ser denunciado por quem o presencia. Também participam do programa a procuradora do trabalho Renata Coelho e a psicóloga Alessandra da Silva, que trata das repercussões na saúde da mulher que é assediada no emprego.

Confira, ainda, dados sobre ações que chegam à Justiça do Trabalho e os meios que podem servir de prova para que o assédio fique configurado. O episódio especial do Jornada já está disponível no canal oficial do TST no YouTube. A nova temporada do programa tem previsão para começar ainda no primeiro semestre de 2021, com formato adaptado às condições impostas pela pandemia.    

(RT)
 

$(‘#lightbox-ocbn_ .slider-gallery-wrapper img’).hover(
function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 0);
}, function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 1);
}
);
$(document).ready(function() {
var ocbn_autoplaying=false;
var ocbn_showingLightbox=false;
const ocbn_playPauseControllers=”#slider-ocbn_-playpause, #slider-ocbn_-lightbox-playpause”;
$(“#slider-ocbn_”).slick({
slidesToShow: 1,
slidesToScroll: 1,
autoplay: ocbn_autoplaying,
swipeToSlide: false,
centerMode: false,
autoplaySpeed: 3000,
focusOnSelect: true,
prevArrow:
‘,
nextArrow:
‘,
centerPadding: “60px”,
responsive: [
{
breakpoint: 767.98,
settings: {
slidesToShow: 3,
adaptiveHeight: true
}
}
] });
$(“#slider-ocbn_”).slickLightbox({
src: ‘src’,
itemSelector: ‘.galery-image .multimidia-wrapper img’,
caption:’caption’
});
});

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Anulada decisão que rejeitou recurso por excesso de páginas

Para a 7ª Turma, a limitação do tamanho do documento caracteriza cerceamento do direito de …