Pleno defende atuação da OAB em defesa da sociedade na gestão da pandemia – OAB

O Conselho Pleno aprovou, na tarde desta terça-feira (16), o apoio da OAB Nacional a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso Nacional com o objetivo de investigar ações e omissões de todos os entes federados brasileiros no enfrentamento da pandemia, incluindo indícios de malversação de recursos destinados a essa finalidade. A proposta foi aprovada por ampla maioria a favor da manifestação explicita da Ordem em defesa de uma CPI que conduza uma investigação ampla, irrestrita e apartidária tendo por objeto fatos concretos determinados relacionados à gestão da crise.

A instância máxima da OAB Nacional deliberou também favoravelmente à proposta de encaminhamento de sugestão para que o Congresso Nacional tome providências para garantir a correta destinação de recursos públicos ao combate à pandemia. Segundo relatório aprovado, a Ordem defende que, ao deliberar os vetos do presidente da República à Lei de Diretrizes Orçamentárias, os parlamentares rejeitem aqueles que retiraram a proteção a`s despesas destinadas ao combate a covid-19 e à aquisição e distribuição das vacinas, “garantindo que o Estado brasileiro destine os recursos necessários e exerça seu dever de garantir a integridade física da população, concretizando o direito fundamental à saúde”.

Digitalização de processos
O Conselho Pleno aprovou também uma proposta acerca da possibilidade de eliminação de processos físicos de natureza ético-disciplinar e de pedido de inscrição principal, quando da conclusão da digitalização da documentação, proposta da OAB Paraíba. O relator inicial foi o conselheiro Leonardo Accioly (PE), com pedido de vistas do conselheiro Ulisses Rabaneda (MT), que propôs em seu voto-vista uma nova redação de norma já existente acerca do mesmo tema – Provimento nº 175/2016, de modo a consolidar a matéria no âmbito do Sistema OAB. A proposta do voto-vista foi acolhida pelo relator original e dos demais conselheiros.

Inclusão
Na mesma sessão, por unanimidade, o Pleno aprovou a autorização para o ingresso da entidade como amicus curiae no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6476, que questiona a validade de um decreto que exclui a previsão de adaptação das provas físicas para candidatos com deficiência em concursos públicos. O relator, conselheiro federal Maurício Gentil (ES), considerou que a norma questionada “viola a proteção constitucional e convencional à pessoa com deficiência”, ao excluir o direito dos candidatos com deficiência à uma adaptação razoável nos exames físicos.

Dessa forma, a entidade vai defender no Supremo Tribunal Federal (STF) que: o artigo 3º, inciso III do Decreto nº 9.508/2018 alterado pelo Decreto nº 9.546/2018 viola a proteção constitucional e convencional à pessoa com deficiência; que na interpretação do art. 3º, VI, do Decreto nº 9.508/2018 (que prevê a possibilidade de o candidato com deficiência utilizar, nas provas físicas, suas próprias tecnologias assistivas sem a necessidade de adaptações adicionais) estabelece uma faculdade em benefício do candidato com deficiência e portanto que é inconstitucional a interpretação que exclua o direito desses candidatos à adaptação razoável; e que, na aplicação do art. 4º, § 4º do Decreto nº 9.508/2018, é inconstitucional a interpretação que submeta de forma genérica candidatos com e sem deficiência aos mesmos critérios avaliativos nas provas físicas, sem a demonstração da sua necessidade para o exercício da função pública.

Fonte Oficial: http://www.oab.org.br/noticia/58743/pleno-defende-atuacao-da-oab-em-defesa-da-sociedade-na-gestao-da-pandemia.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Comissão promoverá debate internacional sobre desenvolvimento sustentável e transição digital – OAB

A OAB Nacional, por meio da Comissão Nacional de Relações Internacionais (CNRI), vai promover uma …