Eleitor no exterior pode ser atendido pelo WhatsApp — Tribunal Superior Eleitoral

Para auxiliar os brasileiros que possuem domicílio eleitoral no exterior, a Justiça Eleitoral, por meio da chamada Zona Eleitoral do Exterior (Zona ZZ) – ligada ao Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) –, traz uma novidade para os cidadãos residentes fora do país que pretendem tirar o título ou transferir sua inscrição para outras nações por meio do serviço Título Net Exterior. Além de atender por e-mail () e pelo telefone (+55 61 3048-1770), a Zona ZZ oferece atendimento via WhatsApp (+66 61 9 9293-9773).

Nas Eleições Gerais de 2018, 500.727 eleitores brasileiros residentes no exterior estavam aptos a votar em 171 localidades eleitorais de 99 países. Um total de 411.123 eleitores votou para os cargos de presidente e vice-presidente da República. Atualmente, são 516.896 brasileiros aptos a votar fora do Brasil.

A bióloga Sabrina Pinedo, de 34 anos, vive há dois em Dublin, na Irlanda. Ela ainda não votou fora do Brasil, mas está atenta sobre a importância de exercer o direito de votar no ano que vem. “Eu ainda não transferi meu título, mas devo fazê-lo em breve. Acho importante votar mesmo estando fora do Brasil, porque vai ser sempre meu país, e eu quero o melhor para as pessoas que eu gosto e vivem nele”, destaca.

Os eleitores que vivem fora do Brasil e querem exercer a cidadania na localidade onde residem devem transferir seu título para a 1ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, que é a instância competente para a regularização dos títulos de brasileiros que moram no exterior.

A Central de Atendimento Telefônico ao Eleitor da Zona ZZ funciona de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.

Saiba mais sobre os serviços eleitorais no exterior.

Voto obrigatório

Todos os eleitores brasileiros que residem no exterior e têm mais de 18 anos – com exceção dos idosos com mais de 70 anos e dos analfabetos – são obrigados a votar. O exercício do voto, para quem mora fora do país, é exigido apenas nos pleitos para presidente e vice-presidente da República.

Caso esteja ausente do seu domicílio eleitoral no dia da eleição ou impedido de comparecer ao local de votação, o eleitor deverá justificar sua falta mediante requerimento dirigido ao juiz da Zona Eleitoral do Exterior, que deverá ser entregue à repartição consular ou à missão diplomática. O requerimento também poderá ser enviado pelos Correios ou pelo Sistema Justifica.

TP/LC, DM

Fonte Oficial: https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021/Marco/tse-oferece-atendimento-via-whatsapp-para-auxiliar-eleitores-que-moram-no-exterior.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TSE convoca novas eleições para prefeito de Boa Esperança (ES) — Tribunal Superior Eleitoral

Nesta quinta-feira (15), o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve, por maioria de votos …