TST e CSJT assinam acordo de cooperação técnica para adotar Sistema Eletrônico de Informações (SEI) 

A adoção da ferramenta permitirá a otimização de recursos e ganhos de produtividade nas rotinas e nos processos administrativos. 

Fachada lateral do edifício-sede do TST e do CSJT.

Fachada lateral do edifício-sede do TST e do CSJT.

08/04/2021 – A presidente do Tribunal Superior do Trabalho e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, ministra Maria Cristina Peduzzi, assinou acordo de cooperação técnica com o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), para que o TST e o CSJT possam utilizar o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), versão 4.0, como ferramenta oficial para a produção, classificação e tramitação de documentos e procedimentos administrativos dos órgãos. 

“A adoção do software busca aperfeiçoar a eficiência no trâmite de documentos e de processos administrativos de forma eletrônica, contribuindo para a organização administrativa do TST e do CSJT, com a modernização dos fluxos”, afirmou a ministra. 

Atualmente o TST e o CSJT utilizam sistema próprio, no entanto, o SEI permitirá a interlocução com o cidadão e maior integração com a rede de órgãos da União que já aderiram ao sistema. 

Economia e produtividade

A adoção do SEI pelo TST e pelo CSJT, além de otimizar a tramitação dos processos administrativos e garantir a economia de recursos públicos, tende a trazer ganhos de produtividade e redução nas rotinas administrativas. A versão a ser adotada contempla o “Módulo SEI Federação”, mecanismo que permite o compartilhamento de processos entre instituições. 

Entre as diversas funcionalidades gerenciais destaca-se a possibilidade de gerar boletins internos de forma automatizada, inserir modelos e padrões em documentos, assinatura em blocos pelas unidades, acesso externo, entre outros. Também é possível ter uma base de conhecimentos e estatísticas de processos, bem como realizar operações nos processos, como a criação, abertura e exclusão; relacionamento e anexação; sobrestamento, duplicação e envio; além da conclusão, retorno programado e pontos de controle.

Para os usuários externos, a ferramenta estabelece uma comunicação direta com o Tribunal por meio do envio de mensagens eletrônicas. Será possível o cadastro para a visualização, assinatura de processos, protocolo de documentos administrativos e o acompanhamento do trâmite dos processos peticionados.

Outra vantagem, é que o SEI pode ser acessado de forma remota de qualquer navegador ou dispositivo eletrônico, como computadores, notebooks, tablets ou smartphones.

SEI

O SEI é uma ferramenta de gestão de documentos e processos eletrônicos desenvolvida pelo TRF-4 com objetivo de promover a eficiência administrativa. O sistema integra o Processo Eletrônico Nacional (PEN), uma iniciativa conjunta de órgãos e entidades de diversas esferas da administração pública, com o intuito de construir uma infraestrutura pública de processos e documentos administrativos eletrônicos.

No Poder Judiciário, o SEI já é utilizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Superior Tribunal de Justiça (STJ), Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Superior Tribunal Militar (STM), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Conselho da Justiça Federal (CJF). Na Justiça do Trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT10) também adotou o sistema.

Estudo Técnico

Para a adoção do SEI, a presidente do TST, ministra Maria Cristina Peduzzi, instituiu, em setembro de 2020, uma comissão para realizar estudo técnico de viabilidade e impactos da ferramenta, considerando aspectos de economia de recursos, eficiência, celeridade, sustentação, evolução e aumento de produtividade em curto, médio e longo prazos. 

Após o estudo, a ministra editou, em dezembro, o Ato.Conjunto.TST.CSJT.GP.nº 53, que aprovou a implantação do Sistema Eletrônico de Informações (SEI) como ferramenta institucional de gestão de documentos e informações administrativas eletrônicas no âmbito do TST e do CSJT.

(AJ/TG)

$(‘#lightbox-sieb_ .slider-gallery-wrapper img’).hover(
function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 0);
}, function() {
const $text=$($($(this).parent()).next());
$text.hasClass(‘inside-description’) && $text.fadeTo( “slow” , 1);
}
);
$(document).ready(function() {
var sieb_autoplaying=false;
var sieb_showingLightbox=false;
const sieb_playPauseControllers=”#slider-sieb_-playpause, #slider-sieb_-lightbox-playpause”;
$(“#slider-sieb_”).slick({
slidesToShow: 1,
slidesToScroll: 1,
autoplay: sieb_autoplaying,
swipeToSlide: false,
centerMode: false,
autoplaySpeed: 3000,
focusOnSelect: true,
prevArrow:
‘,
nextArrow:
‘,
centerPadding: “60px”,
responsive: [
{
breakpoint: 767.98,
settings: {
slidesToShow: 3,
adaptiveHeight: true
}
}
] });
$(“#slider-sieb_”).slickLightbox({
src: ‘src’,
itemSelector: ‘.galery-image .multimidia-wrapper img’,
caption:’caption’
});
});

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Artista brasiliense faz gravura do TST em homenagem ao aniversário de Brasília

A gravura foi elaborada a partir de fotografia da fachada do Tribunal e vai compor …