Confira a pauta de julgamentos do STF para esta quinta-feira (10) – STF

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) reúne-se nesta quinta-feira (10) em sessão por videoconferência, a partir das 14 horas, para dar continuidade ao julgamento que discute se há responsabilidade do Estado em caso de repórter fotográfico ferido pela polícia durante tumulto em manifestação. A questão é tema do Recurso Extraordinário (RE) 1209429, com repercussão geral reconhecida. Os ministros Marco Aurélio (relator), Alexandre de Moraes e Edson Fachin votaram pela responsabilidade do Estado pelo resultado da ação policial. O julgamento será retomado com o voto-vista do ministro Nunes Marques.
Confira, abaixo, todos os temas pautados para julgamento, em sessão transmitida ao vivo pela TV Justiça, pela Rádio Justiça e pelo canal do STF no YouTube.

 

Recurso Extraordinário (RE) 1209429 – Repercussão geral
Relator: ministro Marco Aurélio
Alexandro Wagner Oliveira da Silveira x Estado de São Paulo
O recurso discute a responsabilidade do Estado em indenizar repórter fotográfico ferido durante tumulto envolvendo manifestantes e policiais, considerada a liberdade de exercício da profissão de jornalista. O TJ-SP entendeu que o repórter fotográfico se colocou em situação de risco ou de perigo ao cobrir a manifestação e atribuiu a ele “a culpa exclusiva do lamentável episódio do qual foi vítima”. A vítima, por sua vez, sustenta que houve abuso de autoridade e que a decisão questionada constitui “um salvo conduto à atitude violenta e desmedida da polícia em manifestações públicas”. O relator do processo votou pelo provimento do recurso para afastar a culpa exclusiva do fotógrafo no episódio e reconhecer a responsabilidade do Estado pela ação policial. O julgamento será retomado com o voto-vista do ministro Alexandre de Moraes. 

Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5388
Relator: ministro Marco Aurélio
Autor: Procurador-geral da República
Interessados: Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Conselho da Justiça Federal (CJF).
A ação contesta a Resolução 154/2012, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o artigo 1º da Resolução 295/2014, do Conselho da Justiça Federal (CJF), que dispõem sobre a utilização, pelo Poder Judiciário, de recursos oriundos da aplicação da pena de prestação pecuniária em juizados criminais. Os ministros vão decidir se as resoluções tratam de matéria reservada à iniciativa legislativa privativa da União e se violam a autonomia funcional e a titularidade da persecução penal pelo Ministério Público.

Mandado de Segurança (MS) 24529
Relator: ministro Marco Aurélio
Ana Cláudia Girão Nogueira x presidente da 1ª Câmara do Tribunal de Contas da União e presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região
Mandado de segurança contra ato do TCU que determinou a suspensão do pagamento da incorporação de 84,32% aos vencimentos dos impetrantes, valor do IPC relativo ao mês de março de 1990, oriundo do “Plano Collor”.
Os ministros vão decidir se o TRT, como executor de decisão do TCU, configura parte legítima para fins de mandado de segurança; se o processo administrativo no TCU ofendeu os princípios do contraditório, da ampla defesa e do devido processo legal por não ter chamado os impetrantes a se pronunciarem no feito; e se a decisão do TCU que determina a suspensão do pagamento de verbas incorporadas aos vencimentos por decisões transitadas em julgado ofende a coisa julgada.

Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3952
Relator: ministro Joaquim Barbosa (aposentado)
Partido Trabalhista Cristão (PTC) x Presidente da República e Congresso Nacional
A ação contesta mudanças na legislação que permitiram o cancelamento sumário do registro especial a que estão submetidas as empresas tabagistas do país por não cumprimento de obrigações tributárias na Secretaria da Receita Federal. O partido alega ofensa à ampla defesa e ao contraditório e contesta o cancelamento do registro especial sem que se tenha certeza da condição de inadimplente da empresa.

Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 221
Relator: ministro Dias Toffoli
Democratas x Governador e Assembleia Legislativa do RS
A ação questiona legislação do Rio Grande do Sul que dispõe sobre o cadastramento, a distribuição e a comercialização de produtos agrotóxicos e biocidas no estado. O partido alega, entre outros pontos, que o “bloco normativo” disciplinou operações de natureza mercantil e estabeleceu restrições à importação de produtos estrangeiros, ao restringir a entrada no estado de produtos não registrados no país de origem. São atacados na ação os seguintes dispositivos: parágrafo 2º do artigo 1º da Lei 7.747/1982; e inciso II do artigo 2º e artigo 3º do Decreto 32.854/1988, com a redação dada pelo Decreto 35.428/1994.

AR/CR

Fonte Oficial: http://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=467341&ori=1

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Lista de expositores da audiência pública sobre ensino especial será divulgada no início de agosto – STF

Lista de expositores da audiência pública sobre ensino especial será divulgada no início de agosto …