MG: PIB deve crescer quase 2% com acordo da barragem de Brumadinho

Há cinco meses, foi homologado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) o acordo histórico entre a Vale S.A., governo estadual e instituições públicas, no valor de R$ 37,7 bilhões. Esse é o maior já realizado no Brasil e na América Latina e envolveu recursos para reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), em janeiro de 2019.

Deste total, R$ 11,1 bi serão incluídos no orçamento do estado. E, segundo a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), devem significar crescimento de 1,9% no Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais e 0,1% no PIB nacional. O estudo publicado pelo jornal especializado em economia Valor aponta que as obras com recursos da Vale irão possibilitar um aumento de R$ 14,9 bi no valor bruto da produção do estado, além de impactar na massa salarial da agropecuária, da indústria, dos serviços e da administração pública nas 13 regiões de Minas Gerais.

Além do impacto econômico, o estudo mostra o alcance social. A estimativa é de geração de 48,9 mil empregos diretos e indiretos no estado e R$ 4,2 bi em pagamento em massa salarial. Há também previsão de que a arrecadação de impostos atinja R$ 764,4 mi.

Do valor que vai ao orçamento do governo estadual, quase a metade – R$ 4,95 bi – será usada em projetos de mobilidade. Outros R$ 2,05 bi irão para obras de saneamento básico e tratamento de água e R$ 4,06 bi serão para fortalecimento do serviço público no estado, com obras que incluem construção de hospitais regionais, escolas, equipamentos das polícias e do Corpo de Bombeiros, entre outros.

A região metropolitana de Belo Horizonte, incluindo Brumadinho, vai receber R$ 8,8 bi, o que corresponde a 79,9% dos investimentos. Com isso, segundo o estudo da Fiemg, haverá aumento de R$ 11,5 bi no valor bruto da produção, geração de 32,5 mil empregos, crescimento na massa salarial de R$ 3,2 bi e arrecadação de impostos de R$ 581 mi.

O presidente do TJMG, Gilson Soares Lemes, afirma que o acordo homologado mostra um alcance extraordinário e que as soluções construídas pelas partes têm mais chances de pacificar os conflitos. Por isso, é importante promover e incentivar a conciliação e a mediação como alternativas céleres e seguras na solução de conflitos.

Fonte: TJMG

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/mg-pib-deve-crescer-quase-2-com-acordo-da-barragem-de-brumadinho/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=mg-pib-deve-crescer-quase-2-com-acordo-da-barragem-de-brumadinho.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Reeducandos em Vila Velha (ES) participam de curso sobre comunicação não-violenta

Durante essa semana, 60 reeducandos da Penitenciária Semiaberta e da Casa de Custódia de Vila …