CNJ divulga habilitados para falar em audiência pública sobre segurança privada

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) definiu a relação de pessoas e entidades que vão participar da audiência pública sobre as melhores práticas para assegurar a eficiência e a qualidade na prestação da segurança privada. A iniciativa vai reunir contribuições e esclarecimentos técnicos e jurídicos sobre o tema. O evento será no dia 30 de julho, das 9h às 12h50, por videoconferência.

Acesse a lista completa de pessoas e entidades habilitadas e a ordem das manifestações

A seleção levou em conta critérios de representatividade, especialização técnica e garantia de pluralidade de opiniões, com paridade dos pontos de vista a serem defendidos e aproveitamento das questões indicadas para o objeto da audiência. Cada pessoa terá 10 minutos para apresentar suas considerações.

A abertura da audiência pública contará com as participações dos conselheiros do CNJ Mário Guerreiro, coordenador do grupo de trabalho sobre serviços de segurança privada, e André Godinho e da também conselheira Tânia Reckziegel. O grupo de trabalho foi criado a partir do Observatório dos Direitos Humanos do Poder Judiciário, após a morte de João Alberto Silveira Freitas, em 19 de novembro de 2020, que sofreu espancamento por seguranças em um supermercado em Porto Alegre (RS). Na gestão do ministro Luiz Fux à frente do CNJ, tem sido dado enfoque a discussão e estudos de ações concretas para a garantia dos direitos humanos no Brasil, o que inclui o combate ao racismo e demais formas de preconceito.

Entre as entidades do Sistema de Justiça que vão participar, estão o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), a Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadep), a Polícia Federal e a Ordem dos Advogado do Brasil – seccional São Paulo (OAB/SP), além de outras do próprio Judiciário. Além disso, foram habilitadas sindicatos, associações, federações e confederações que atuam diretamente com profissionais da segurança privada em todo o país.

Carolina Lobo
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/cnj-divulga-habilitados-para-falar-em-audiencia-publica-sobre-seguranca-privada/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=cnj-divulga-habilitados-para-falar-em-audiencia-publica-sobre-seguranca-privada.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Reeducandos em Vila Velha (ES) participam de curso sobre comunicação não-violenta

Durante essa semana, 60 reeducandos da Penitenciária Semiaberta e da Casa de Custódia de Vila …