Doing Business: Workshop debate papel do Judiciário no ambiente de negócios

A atuação do Judiciário e sua interação com órgãos públicos para tornar mais próspero o ambiente de negócios, promovendo mais agilidade e menores custos na solução de disputas comerciais, estarão em debate no workshopDoing Business Subnacional”, que será realizado no dia 12 de agosto, às 14h30, em plataforma digital. O encontro, realizado pelo Banco Mundial e pela Secretaria Especial de Modernização do Estado da Presidência da República, contará com a participação do conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Mário Guerreiro, que coordena o Comitê Executivo da Rede Nacional de Cooperação Judiciária.

O relatório Doing Business Subnacional foi lançado em junho e apresenta as diferenças nas regulamentações de negócios nos 26 estados e no Distrito Federal e seu impacto nas economias locais. Além dos dados sobre a facilidade para fazer negócios, ele traz recomendações para melhorar o desempenho local em cada um dos temas analisados: Abertura de Empresas, Obtenção de Alvarás de Construção, Registro de Propriedades, Pagamento de Impostos e Execução de Contratos.

Veja infográfico comparativo elaborado pelo Sebrae

O evento terá por foco a Execução de Contratos. O relatório traz pesquisa realizada com representantes de tribunais, operadores e operadoras do Direito e especialistas sobre avaliação do tempo e do custo para a solução de disputas comerciais na primeira instância do Judiciário. E, também, sobre a qualidade dos processos a partir da metodologia Doing Business, do Banco Mundial.

Entre as principais constatações, está que o ambiente de negócios no Brasil apresenta forte variação entre os estados e que processos complexos e demorados são um entrave para o empreendedorismo brasileiro. Segundo o Banco Mundial, países com alta pontuação no Doing Business tendem a possuir níveis mais altos de empreendedorismo e menores índices de corrupção.

Contribuição

Para o aperfeiçoamento do ambiente de negócio, o Banco Mundial e a Secretaria Especial de Modernização do Estado consideram que o CNJ pode contribuir na interlocução com os entes federados, por meio dos Tribunais de Justiça, para promover o debate e incentivar ações para a melhoria de processos na área de execução de contratos.

O conselheiro Mário Guerreiro vai apresentar a importância da cooperação judiciária, regulamentada pela Resolução CNJ n. 350/2020. Importante instrumento para desburocratizar e conferir maior agilidade ao cumprimento dos atos do Judiciário, a prática pode ser aplicada em diversos procedimentos, como a troca de informações entre Judiciário e outros órgãos públicos para a reunião, apensamento ou até solução de processos, incluindo a reunião de execuções contra um mesmo devedor em juízo único.

A cooperação judiciária ainda apoia a efetivação de medidas e providências para a recuperação e preservação de empresas e facilitação de habilitação de créditos em falências e recuperações judiciais. Além de permitir investigações patrimoniais como busca de bens e realização prática de penhora, arrecadação e indisponibilidade ou outro tipo de constrição judicial.

Serviço

Workshop “Doing Business Subnacional”
Quando: dia 12 de agosto, às 14h30
Onde: Plataforma Microsoft Teams

Luciana Otoni
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/doing-business-workshop-debate-papel-do-judiciario-no-ambiente-de-negocios/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=doing-business-workshop-debate-papel-do-judiciario-no-ambiente-de-negocios.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Reeducandos em Vila Velha (ES) participam de curso sobre comunicação não-violenta

Durante essa semana, 60 reeducandos da Penitenciária Semiaberta e da Casa de Custódia de Vila …