Agosto é mês de ações de combate à violência contra a mulher em Tocantins

No período de 16 a 20 de agosto, o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) realiza a 18ª edição da Semana Justiça pela Paz em Casa. Durante a semana, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com os Tribunais de Justiça, são realizados mutirões de audiências e julgamentos de processos envolvendo violência doméstica e familiar.

Em alusão aos 15 anos da Lei Maria da Penha, será realizada, no dia 6 de agosto, audiência pública, com participação dos integrantes do Comitê de Prevenção da Violência Doméstica, Rede de Enfrentamento à Violência intrafamiliar, representantes dos poderes Executivos e Legislativos estaduais e municipais e os órgãos representativos dos movimentos de mulheres do Estado do Tocantins. O evento será transmito pelo canal do TJTO no YouTube.

Também durante agosto, a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat) vai ministrar o curso de Comunicação Não Violenta e a Capacitação de Magistrado e Servidores para a prevenção, combate e enfrentamento da violência contra a mulher. As reuniões preparatórias das atividades já foram realizadas. A ideia é dar publicidade à Lei Maria da Penha, capacitar e qualificar as equipes para a repressão à violência doméstica e sensibilizar a sociedade sobre a importância, tanto da vítima como da comunidade, em realizar a denúncia do agressor em casos de violência intrafamiliar.

A juíza Cirlene de Assis, que é coordenadora estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, destaca que, mesmo diante da crise sanitária provocada pela Covid-19, todas as unidades judiciárias trabalham de forma ininterrupta para prestação jurisdicional. A magistrada pontua ainda que as audiências estão sendo realizadas por videoconferência e os julgamentos de feminicídios ocorrem normalmente e de forma presencial.

Com relação à Meta 8 do Poder Judiciário, que prioriza o julgamento dos processos relacionados ao feminicídio e à Violência Doméstica e Familiar, a juíza aponta que o TJTO é destaque, superando a média nacional. Atualmente, as comarcas de 1ª e 3ª Entrâncias já superaram o percentual de 100% de cumprimento da Meta 8. Com relação ao feminicídio, Cirlene pontua que tem comarca com 200% de processos julgados.

Fonte: TJTO

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/agosto-e-mes-de-acoes-de-combate-a-violencia-contra-a-mulher-em-tocantins/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=agosto-e-mes-de-acoes-de-combate-a-violencia-contra-a-mulher-em-tocantins.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Defensoria pública mineira promove Innovation Today na sexta-feira (24/9)

Na sexta-feira (24/9), a Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), por meio de sua Escola …