Costureira vai receber pensão por incapacidade parcial causada por doença ocupacional

Acompanhe algumas decisões das Turmas do TST:

(0:10) A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho condenou a Cambará Produtos Florestais, de Cambará do Sul (RS), ao pagamento de adicional de periculosidade a um operador de carregadeira que, semanalmente, abastecia máquinas e, por isso, estava exposto a inflamáveis durante 15 minutos. O colegiado considerou que o contato com o combustível era intermitente, com risco potencial de dano efetivo ao trabalhador.

(2:42) Uma empregada doméstica contratada aos 12 anos de idade pode obter penhora de salário do ex-patrão para pagamento de verbas trabalhistas devidas a ela. Na ação, a trabalhadora, atualmente com 23 anos, disse que, aos 12, foi levada por um casal para trabalhar como empregada doméstica em sua casa e na lavanderia da empregadora. A determinação é da Terceira Turma do TST.

(5:26) A Sétima Turma do TST decidiu que uma costureira que confeccionava produtos da marca Calvin Klein deverá receber pensão mensal vitalícia, após ter desenvolvido doença ocupacional que reduziu sua capacidade de trabalho.

O Revista TST é exibido pela TV Justiça às sextas-feiras, às 19h30. O programa é reprisado aos domingos, às 3h; segundas, às 7h; terças, às 20h30; e às quintas, às 22h. Todas as edições também podem ser assistidas pelo canal do TST no YouTube: www.youtube.com/tst.

Fonte Oficial: TST.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

TST homenageia 38 personalidades com a Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

                           Baixe o áudio Reproduzir o áudio  Pausar o áudio  Aumentar o volume  Diminuir o …