Tribunal do Trabalho de MS cria Laboratório de Inovação e Inteligência

O Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região (TRT24), que atende a trabalhadores e trabalhadoras de Mato Grosso do Sul, instituiu, no dia 2 de setembro, o Laboratório de Inovação, Inteligência e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – Inovar-TRT24. O programa une o conhecimento institucional, a inovação e a cooperação com o objetivo de se alcançar a paz, a justiça e a eficiência institucional.

O projeto envolve espaço físico ou virtual, metodologias, pessoas e ações que impulsionam a inovação com o atendimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU no âmbito do tribunal. Além de monitorar e promover a gestão judicial processual e administrativa dos dados da Agenda 2030, o Inovar-TRT24 também vai elaborar e implementar plano de ação voltado à melhoria da gestão pública e para evitar judicialização excessiva, incentivas pesquisas, artigos e estudos e estabelecer conexões com Laboratórios e Centros de Inteligência de outros tribunais.

O Inovar-TRT24 promoverá ações de sensibilização, com fomento da cultura da criatividade, inovação e sustentabilidade no serviço público; de prospecção, com o mapeamento de soluções inovadoras e sustentáveis, internas e externas ao TRT24, qualificação dos servidores e de residência, um espaço de trabalho colaborativo em projetos de equipes interdisciplinares, com foco em soluções inovadoras e sustentáveis.

Fonte: TRT24

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/tribunal-do-trabalho-de-ms-cria-laboratorio-de-inovacao-e-inteligencia/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=tribunal-do-trabalho-de-ms-cria-laboratorio-de-inovacao-e-inteligencia.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Participação de pessoas negras no TRT4 é tema de livro e documentário

“Num mundo onde querem nos matar, contar e registrar as nossas vidas é revolucionário!”. A …