Escritório Social Virtual: aplicativo para pessoas egressas ganha novas funcionalidades

Com mais de 4 mil usuários entre pessoas egressas do sistema prisional e familiares, o aplicativo Escritório Social Virtual (ESVirtual) passou por uma atualização. A ferramenta do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está sendo desenvolvida desde 2019 com o apoio de diversos parceiros para ampliar o acesso de pessoas que tiveram contato com o cárcere a serviços e informações úteis, facilitando a retomada da vida em sociedade. “Estamos invocando a tecnologia para atuar em benefício da disseminação de serviços e de políticas de cidadania que facilitem a estabilização social”, disse o presidente do CNJ, Luiz Fux, durante o lançamento do aplicativo em abril.

A ferramenta é desenvolvida pelo CNJ com o apoio do programa Fazendo Justiça, parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública para incidir em desafios no campo da privação de liberdade. O aplicativo integra as atividades de cidadania do programa, e sua criação tem a participação do Governo do Distrito Federal via Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federa e Universidade de Brasília. Há ainda apoio da Kroton e da Fundação Pitágoras (Cogna Educação) na oferta de conteúdo.

Com a atualização, os cursos, informações e localização de serviços que já estavam no aplicativo passam a ser complementados com informações sobre Conselhos da Comunidade, serviços de cultura e equipamentos públicos voltados para mulheres, pessoas LGBTQIA+ e idosos. “Nós realizamos uma consulta permanente aos usuários do aplicativo e a atualização acontece, portanto, também a partir de demandas levantadas por essas pessoas”, explica a coordenadora-adjunta da área de cidadania do programa Fazendo Justiça, Pollyanna Alves.

A nova versão do ESVirtual incorpora ainda à sua base nacional os dados sobre serviços úteis a esse público de três estados – Bahia, Espírito Santo e Paraíba – e do município de Maricá, no Rio de Janeiro. Os serviços fazem parte da rede local dessas regiões e foram identificados pelos Escritórios Sociais físicos. A previsão é de que até o fim do ano as bases dos 27 estados estejam disponíveis aos usuários.

Uma das funcionalidades mais bem avaliadas pelos usuários é a integração do aplicativo com o Sistema Eletrônico de Execução Unificada (SEEU), ferramenta do CNJ que integra mais de 1,3 milhões de processos de execução penal em todo o país em tempo real. O acesso ao SEEU via aplicativo permite que egressos e familiares tenham acesso ao acompanhamento processual da pena, de forma ágil e simplificada. O aplicativo ainda oferece  cursos livres gratuitos e conteúdos com foco específico em geração de trabalho e renda.

O Escritório Social Virtual é a extensão digital dos Escritórios Sociais, estrutura criada pelo CNJ em 201de gestão compartilhada entre poderes públicos locais já presente em 18 unidades da federação. Ele  oferece a pessoas egressas do sistema prisional acesso a uma rede de serviços de apoio – públicos e da sociedade civil – em áreas como qualificação profissional, documentação, saúde e moradia. As ações permitem a implementação da Política Nacional Judiciária de Atenção a Pessoas Egressas do Sistema Prisional, Resolução CNJ n. 307/2019 (LINK: https://atos.cnj.jus.br/atos/detalhar/3147)

O aplicativo do Escritório Social Virtual está disponível tanto para celulares com sistema Android quanto IOS. Siga o passo-a-passo para baixar o app:

  • Acesse a loja de aplicativos do seu celular
  • Pesquise por “Escritório Social Virtual”
  • Clique para instalar o aplicativo
  • Ao final da instalação clique no ícone do “Escritório Social Virtual”, que já está pronto para o uso

Saiba mais sobre o aplicativo

Renata Assumpção
Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/escritorio-social-virtual-aplicativo-para-pessoas-egressas-ganha-novas-funcionalidades/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=escritorio-social-virtual-aplicativo-para-pessoas-egressas-ganha-novas-funcionalidades.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Judiciário de RR tem o 2º menor tempo de tramitação de ações ambientais

O Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) é o órgão do Judiciário com o segundo …