Quarenta e duas práticas avançam no Prêmio Prioridade Absoluta 2022

Ações dedicadas à adoção de crianças, ao combate ao racismo, ao apoio a famílias em situação de vulnerabilidade e ao enfrentamento à institucionalização de jovens estão entre os 42 projetos pré-selecionados para concorrerem ao Prêmio Prioridade Absoluta edição 2022. A lista foi divulgada nesta terça-feira (17/5) pelo Fórum Nacional da Infância e Juventude (Foninj) e a Secretaria Especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica (SEP) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Criado no ano passado para premiar e disseminar boas práticas dos tribunais, do Sistema de Justiça e da sociedade civil voltadas à valorização dos direitos das crianças e adolescentes, o Prêmio Prioridade Absoluta é também um dos suportes do Pacto Nacional pela Primeira Infância, uma ampla mobilização de promoção das garantias constitucionais das crianças e jovens.

O prêmio está dividido nos eixos temáticos de medidas protetivas e infracionais, sendo cada uma subdividida em cinco categorias. Concluída a etapa eliminatória, abre-se prazo para análise de eventuais recursos pela Comissão Avaliadora, conclusão da fase classificatória e de realização da premiação, em agosto de 2022.

Conheça a lista completa das práticas selecionadas

Proteção

No eixo das medidas protetivas, foram selecionados onze projetos na categoria “Tribunal”: “Entrega responsável judicial de crianças para adoção em Pernambuco”; “Programa Acelera”; “Projeto de prevenção à institucionalização prolongada”; “Projeto Abraçando Filhos”; “Projeto Cidadania e Justiça na Escola”; “Projeto Onde Está Minha Família?”; “Projeto Pescar Comunidade Jurídico-Trabalhista”; “Projeto fada madrinha”; “Projeto família: um direito de toda criança e adolescente”; “Projeto colo de amor”; “Projeto declare seu amor”.

Na categoria “Sistema de Justiça” os sete selecionados são: “Rede Peteca”; “Conapeti”; “Serviço fortalecendo redes”; “Aprendiz paulista”; “Tecendo redes de cuidado”; “Nascer é legal”; e “Ação cidadã infância sem racismo”.

Na categoria “Juiz”, as ações que seguem para as próximas fases são: “Escola amiga da adoção”, “Projeto um outro destino”, “Grupo de apoio à adoção de Toledo”; “Projeto conversando sobre nossos filhos”; “Projeto AFIN”; e “Parcerias do Poder Judiciário com universidades”. Na categoria “Poder Público”, os pré-selecionados são “Delegacia amiga da criança” e “Programa de Apoio à Primeira Infância (PAI)”.

Na categoria “Empresa e Sociedade Civil Organizada”, foram selecionados os projetos “Dedica – Defesa e garantia de direito da criança e do adolescente”; “Crescer com proteção (mobilização de adolescentes)”; “Encontro on-line de acolhimento familiar”; e “Construindo histórias e transformando vidas – programa de formação para profissionais visando adoções bem-sucedidas”.

Eixo infracional

As mesmas categorias compõem o eixo infracional, voltada para os direitos de adolescentes em conflito com a lei. Na categoria “Tribunal”, os selecionados foram: “Projeto #Partiufuturo”; “Audiências concentradas no socioeducativo”; “Projeto mediação de conflitos nas escolas”; e “Programa radioativo”.

Na categoria “Juiz”, as ações escolhidas foram “Projeto corre família”; “Núcleo de avaliação psicológica”; e “Protocolo de audiências por videoconferência na área infracional”. O programa “Onda vozes da cidadania” foi selecionado na categoria “Empresa e sociedade civil organizada”. Na categoria “Sistema de Justiça”, os projetos são “Lugar de fala”; “Jovens na medida”; e “Programa Qualifica”.

Agência CNJ de Notícias

Macrodesafio - Garantia dos direitos fundamentais

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/quarenta-e-duas-praticas-avancam-no-premio-prioridade-absoluta-2022/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=quarenta-e-duas-praticas-avancam-no-premio-prioridade-absoluta-2022.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Judiciário do Amapá inscreve para edição do Casamento Homoafetivo na Comunidade

O Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), em parceria como o Conselho Estadual dos Direitos …