Preservando a memória militar: obra trata das missões de paz brasileiras – STJ

O Brasil tem longa tradição de participar de missões de paz e estabilização promovidas pela Organização das Nações Unidas (ONU). Preservar essa memória e contar um pouco do dia a dia dos militares nessas missões são alguns dos destaques do livro No olho do furacão: de El Salvador ao Haiti, lançado nesta quinta-feira (4), no Espaço Cultural do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O autor é o general do Exército Ajax Porto Pinheiro, que participou de várias missões de pacificação na América Central. No Haiti, o general Ajax foi o último comandante das forças da ONU que atuaram para reestruturar o país.

Ações de paz sob a perspectiva brasileira

Apesar das diversas participações das forças brasileiras, há poucos registros literários dessas ações. “As perspectivas de militares brasileiros são originais, e essa memória deve ser preservada. Eu observei situações pitorescas, desesperadoras e até que dão esperança, e as organizei em 38 capítulos”, disse o autor.

O general destaca ter muito orgulho das experiências dos “capacetes azuis” – o apelido das tropas do ONU. “Acredito que o soldado brasileiro é muito apto para essas missões. Devido à nossa diversidade cultural, econômica e até de terrenos, somos muito flexíveis e conseguimos entender a necessidade das populações locais”, avaliou.

Currículo do general foi ressaltado pelo ministro da Defesa

Presente no evento, o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, destacou a inteligência e talento do colega. “Conheço Ajax desde 1974, quando cursamos juntos a escola preparatória de cadetes. Ele é um grande exemplo de militar, pessoal e profissional”, observou.

O ministro Nogueira apontou que o Brasil teve atuação importantíssima no Haiti, sendo o general Ajax figura-chave em vários momentos, mesmo antes de alcançar a patente de general. “Foram 13 anos de missão no Haiti, e militares brasileiros ajudaram a salvar milhares de pessoas”, destacou.

Além do ministro da Defesa, estavam presentes ao evento o brigadeiro do ar Reginal Pontirolli, o secretário-geral do STJ, Jadson Santana, e o diretor-geral do tribunal, Marcos Antonio Cavalcante.

Fonte Oficial: http://www.stj.jus.br/sites/portalp/Paginas/Comunicacao/Noticias/04082022-Preservando-a-memoria-militar-obra-trata-das-missoes-de-paz-brasileiras.aspx.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Produtos Recomendados

Confira Também

Excepcionalmente, CDC pode incidir nos contratos de sociedade em conta de participação – STJ

​A Terceira Tuma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu que, para a incidência excepcional …