Paz em Casa: vivências das mulheres negras marcam evento em Minaçu (GO)

As múltiplas e multicoloridas vivências das mulheres negras de Minaçu. A temática, que exalta o Dia da Consciência Negra, fez parte da programação da 25ª edição da Semana Justiça Pela Paz em Casa do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), na noite desta quinta-feira (23/11), em Minaçu. O evento, realizado no Tribunal do Júri  da comarca de Minaçu, foi marcado por depoimentos com histórias de lutas e apresentações culturais, como a da coordenadora regional da Associação dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil, Marlene Aparecida Gonçalves (foto abaixo), que emocionou o público ao recitar uma poesia de sua autoria retratando a discriminação e a violência sofridas ao longo do tempo por essas mulheres.

A diretora do Foro da comarca de Minaçu,  juíza Isabella Luíza Alonso Bittencourt (foto abaixo), que também integra a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, agradeceu a presença das representantes das comunidades negras e quilombolas de Minaçu e ressaltou que iniciativas dessa natureza fortalecem a luta delas. “É uma honra para o Poder Judiciário goiano recebê-las. É uma forma de conhecermos mais de suas lutas, da cultura e de nos integrarmos cada vez mais”.

A psicóloga da Polícia Civil, Mariana de Paula, por sua vez, lembrou que as mulheres negras são as principais vítimas de violência doméstica. Embora, na maioria das vezes, tenham medo de denunciar. “Precisamos, juntas, buscarmos ações preventivas para evitar que esses crimes não ocorram”, pontuou.

Vencedora

A ativista e liderança negra atuante no afroempreendedorismo, advogada Ana Cristina de Sousa, contou um pouco de sua trajetória até realizar o sonho de se formar em Direito. “Sou advogada e digo isso com orgulho, porque não e fácil para  uma mulher negra, órfã aos cinco anos, criada num quilombo, conseguir esse feito. Me sinto uma vencedora e hoje estou em Minaçu trabalhando no fortalecimento de mulheres negras para garantir a autonomia financeira , promovendo a geração de emprego e renda por meio do afroempreendedorismo”.

Coordenadora da Associação Quilombola São Félix e Igualdade Racial de Minaçu, Dita Carvalho destacou que “é motivo de orgulho para a comunidade negra e quilombola ser acolhida pelo Poder Judiciário”. A programação ainda contou com a exibição de um videoclipe da música “Mulher do Fim do Mundo”, interpretada pela cantora Elza Soares e foi encerrada com a apresentação da cantora negra e integrante do Centro Cultural Conexão Cidadã, Ana Beatriz Guimarães.

Também estiveram presentes na solenidade, a liderança negra e quilombola de Minaçu, Elisvânia Pereira; a secretária-executiva da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica, Lucelma Messias; a servidora da Coordenadoria da Mulher, Mara Cristina Ferreira; a secretária da Diretoria do Foro da comarca de Minaçu, Fabiana Santos Souza; a presidente da subseção da OAB-GO em Minaçu, Shirley Araújo; a primeira-dama de Minaçu, Marla Cunha, e a vereadora de Minaçu, Gilvânia Márcia.

Fonte: TJGO

Macrodesafio - Garantia dos direitos fundamentais

Fonte Oficial: https://www.cnj.jus.br/paz-em-casa-vivencias-das-mulheres-negras-marcam-evento-em-minacu-go/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Confira Também

CNJ lança #BlocodoRespeito: campanha de conscientização contra o assédio no Carnaval

O Conselho Nacional de Justiça promove, de 3 a 17 de fevereiro, o #BlocoDoRespeito, uma …