in

Entrega da Comenda de Direitos Humanos Dom Hélder Câmara ocorre na quarta

O Senado realizará na quarta-feira (10), às 10h, no Plenário do Senado, a entrega da Comenda de Direitos Humanos Dom Hélder Câmara. A honraria celebra indivíduos e instituições que ofereceram contribuições para a promoção dos direitos humanos no país.

Os agraciados deste ano são:

Senador Paulo Paim (PT-RS): presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Paim é autor e relator de importantes legislações como o Estatuto da Pessoa Idosa, o Estatuto da Pessoa com Deficiência e a Lei de Cotas. Ele atua como parlamentar desde 1987.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ministro Silvio Almeida: ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Almeida é advogado e professor com formações em Direito, Filosofia e Economia. Autor do livro “Racismo Estrutural”, ele fundou o Instituto Luiz Gama, que atua em causas sociais com ênfase nas questões étnico-raciais e de minorias.

Professor Antônio Augusto Cançado Trindade (in memoriam): jurista e acadêmico reconhecido na área do Direito Internacional e dos Direitos Humanos, Cançado Trindade foi professor emérito da Universidade de Brasília (UnB) e lecionou por três décadas no Instituto Rio Branco. Atuou como juiz na Corte Interamericana de Direitos Humanos e no Tribunal Internacional de Justiça, em Haia.

Rafael Régis Azevedo: atuante na causa das doenças raras, Rafael tem impactado a vida de muitas pessoas, incentivando o cuidado e apoio a essa população.

Instituto Dom Helder Câmara (IDHeC / Recife-PE): Entidade sem fins lucrativos com sede em Recife, o instituto é dedicado a preservar e divulgar o legado de Dom Hélder Câmara.

Dom Hélder Câmara

Bispo católico e um dos fundadores da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é lembrado por sua defesa dos direitos humanos durante o regime militar brasileiro. Ele foi indicado quatro vezes ao Prêmio Nobel da Paz. Nascido no Ceará, destacou-se como arcebispo de Olinda e Recife entre 1964 e 1985, período durante o qual promoveu uma igreja voltada para os pobres e defendeu a não violência. Após sua aposentadoria, viveu nos fundos da Igreja das Fronteiras, em Recife, até seu falecimento em 1999, aos 90 anos.

Vinícius Gonçalves, sob supervisão de Patrícia Oliveira

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: Agência Senado

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Comissão vai debater colapso das carreiras do FNDE e do Inep

Sessão especial destaca a luta e o talento das quadrilhas juninas