in

Senado comemora 50 anos de atuação da Codevasf na redução das desigualdades

O cinquentenário da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) foi comemorado em sessão especial do Plenário do Senado realizada nesta segunda-feira (8). A companhia promove o desenvolvimento regional dessas bacias hidrográficas de forma integrada e sustentável, contribuindo para a redução das desigualdades sociais e regionais, destacaram os participantes.

Autor do pedido para a celebração, o senador Davi Alcolumbre (União-AP) presidiu a sessão e ressaltou a importância histórica e atual da Codevasf para todo o país. Ele disse que a Codevasf atua hoje em um terço do território nacional e é um dos principais agentes de redução das desigualdades brasileiras.

— Eu tenho a convicção — e eu sei que todos nós a temos — de que a Codevasf é, hoje, um dos principais agentes da integração nacional do nosso país. Para tanto, nós devemos reconhecer que somente alcançaremos uma redução das desigualdades a partir da promoção da segurança hídrica, da agricultura irrigada e da economia sustentável, valores que são perseguidos diariamente pela Codevasf — afirmou Davi.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Atualmente, a companhia tem atuação nos estados de Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins, além do Distrito Federal. São mais de 3 milhões de quilômetros quadrados, 36% do território nacional, 2.678 municípios.

Davi citou como exemplos de áreas em que a Codevasf atua nesses estados o fornecimento de equipamentos e máquinas, como automóveis, caminhões frigoríficos, patrulhas agrícolas mecanizadas e retroescavadeiras, obras de pavimentação, kits de irrigação familiar, pesca artesanal, produção de camarão, construção de canais, de adutoras, de sistemas de abastecimento e de esgoto, de implantação de poços e cisternas, de recuperação de ecossistemas e de suporte à agricultura familiar, produção de frutas, construção de estradas e de pontes, recuperação dos rios, entre outros.

Transposição

Ele também disse que um dos maiores orgulhos da companhia é a execução do Projeto de Integração do Rio São Francisco desde 2014 para garantir segurança hídrica a 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. 

— A escassez hídrica da maior parte do Nordeste brasileiro sempre esteve em contraste com a riqueza das águas que o São Francisco carrega. Era essencial garantir que esses recursos pudessem atender a todos os nordestinos afetados pela seca; era essencial, senhoras e senhores, que o poder público garantisse instrumentos para a superação da fome e da miséria nessas localidades — disse Davi.

Desenvolvimento

A Codevasf é uma empresa pública de direito privado, criada pela Lei 6.088, de 1974, de capital social pertencente integralmente à União e vinculada atualmente ao Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional.

A companhia atua para desenvolver as bacias hidrográficas de forma integrada e sustentável para reduzir as desigualdades sociais e regionais. A empresa desenvolve principalmente projetos de segurança hídrica, agricultura irrigada e economia sustentável.

A Codevasf reúne investimentos para obras de infraestrutura, em especial de projetos de irrigação e de aproveitamento racional da água. É reconhecida principalmente pela implantação de polos de irrigação, a exemplo do Pólo Petrolina–Juazeiro. Também ajuda as comunidades rurais, especialmente as afetadas pela seca. 

A empresa ainda realiza diversas ações de revitalização voltadas para o aumento da quantidade e melhoria da qualidade da água, com implantação de sistema de tratamento de esgoto e recuperação hidroambiental.

O presidente da Codevasf, Marcelo Andrade Moreira Pinto, disse que a companhia atendia 504 municípios quando foi criada e, hoje, já passa dos 2,6 mil municípios atendidos. Ele explicou também que a empresa gere 113 barragens e promove pavimentação de ruas, por exemplo.

— Somos uma companhia de desenvolvimento. Atuamos nas mais diversas frentes que possam gerar oportunidades e melhorar a qualidade de vida da população: de serviços essenciais, como abastecimento de água, ao desenvolvimento de cadeias produtivas completas. O trabalho da companhia é muito amplo. Realizamos obras de infraestrutura, implantamos e mantemos projetos de irrigação, promovemos ações de revitalização do meio ambiente, estruturamos cadeias produtivas que geram emprego e renda permanente para milhares de famílias por meio dos nossos arranjos produtivos locais — disse Marcelo.

Ainda de acordo com o presidente da Codevasf, a companhia mantém atualmente 39 projetos que irrigam cerca de 120 mil hectares de terras.

— São polos de desenvolvimento que alimentam o Brasil e o mundo; produzem mais de 4 milhões de toneladas de alimentos todos os anos, gerando renda, gerando emprego e também arrecadando impostos. Estamos falando de R$ 5,4 bilhões de produção todos os anos, só nos perímetros irrigados da Codevasf. Eles são responsáveis por quase 350 mil empregos diretos e indiretos — ressaltou Marcelo.

Os senadores Eduardo Gomes (PL-TO) e Vanderlan Cardoso (PSD-GO) também elogiaram a atuação da Codevasf, em especial em municípios de seus estados.

Eduardo Gomes disse que a Codevasf chegou ao estado do Tocantins há quase cinco anos e já conseguiu mais de mil equipamentos para comunidades de agricultura familiar, de povos originários e de quilombolas.

— Há toda uma distribuição não só de tecnologia e de atendimento direto no arranjo produtivo, mas, principalmente, de incentivos. (…) Eu tenho certeza de que a Codevasf faz 50 anos, mas já influenciou positivamente nos próximos 50 anos do estado do Tocantins — disse.

Vanderlan, por sua vez, lembrou que a Codevasf atua em seu estado há menos de três anos e já está ajudando a mudar a realidade regional.

— Nós temos mais de 400 assentamentos no estado de Goiás. Já destinei, via Codevasf, mais de 130 equipamentos para os assentamentos, para os produtores pequenos, para a agricultura familiar, para associações, inclusive, com os consórcios de municípios, levando máquina e equipamento para, por exemplo, Ceres, Rialma, Rianápolis, para criação de peixes — pontuou.

Também participaram o ministro do Turismo, Celso Sabino; o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes; o governador do Amapá, Clésio Luís; os senadores Humberto Costa (PT-PE), Randolfe Rodrigues (AP) e Leila Barros (PDT-DF), deputados federais e prefeitos, entre outros convidados.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: Agência Senado

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Comissão de Defesa da Democracia vai homenagear o Instituto Vladimir Herzog

Aposentados e pensionistas do RS podem ter 180 dias de carência nos empréstimos